[RESENHA] A Filha do Norte - Luisa Soresini

Hey, pessoas!

Há algum tempo o blog fechou parceria com a linda autora Luisa Soresini, escritora do livro A Filha do Norte, primeiro volume de uma saga fantástica que promete conquistar muitos corações. É exatamente sobre ele que a resenha de hoje vai falar, então se liguem!

A Filha do Norte

TÍTULO: A Filha do Norte
AUTOR: Luisa Soresini
EDITORA: Novo Século
NÚMERO DE PÁGINAS: 496 páginas
SINOPSE: Tudo começa quando Michelle e Meredith saem para ver as flores. Uma tempestade faz com que a bruxa perca Michelle de vista. A menina, desnorteada, sai em busca de ajuda e avista uma mansão enorme e antiga. Pensando que não mora ninguém na casa, Michelle entra no local para se abrigar e é surpreendida ao ser recebida por uma governanta tão sinistra quanto a casa, que a deixa com medo. Seu instinto lhe diz que há algo de errado, mas essa sensação passa quando entra na casa e se depara com um ambiente completamente diferente daquela fachada macabra que vira. O interior da mansão é maravilhoso, bonito e sofisticado, assim como os seus donos: os irmãos Vergamini. O que Michelle não imagina é que às vezes é necessário ouvir nossos instintos. Ela está em perigo e talvez nem suas amigas, Elza e Meredith, as bruxas do Leste e do Sul, consigam salvá-la.

    

A Filha do Norte é o primeiro volume de uma série escrita pela autora Luisa Soresini, e nele vamos conhecer Michelle, uma garota perdida e assustada, que tenta a todo custo encontrar seu lugar no mundo, depois de vários traumas e perdas. Em uma das suas andanças, ela é acolhida pelas bruxas do Sul (Meredith) e do Leste (Elza), na cidade de Mafaldi. O lugar tem muitas belezas, e Meredith, empolgada com a visita, queria que Michelle conhecesse todas elas. Em um dos passeios, para ver as flores da Luna, Michelle acaba perdendo-se na floresta, e encontra, sem querer, a mansão dos Vergaminis. O que ela não sabe é que aqueles irmãos são monstros cruéis e implacáveis, que nunca pouparam a vida de ninguém desde que foram abatidos pela maldição, que os transformou em criaturas horrendas e temidas por todos. Agora, Michelle é sua prisioneira, e terá de usar de toda sua astúcia e bondado se quiser permanecer viva!

Quando comecei a ler o livro, tinha muitas expectativas, afinal, a partir do momento que a autora me procurou para firmar parceria e eu conheci a sinopse e premissa da história, sabia que eu ia gostar. E eu não podia estar mais certa!

O enredo criado pela Luisa envolve duas coisas que eu curto bastante: o sobrenatural e a magia. E ela aproxima esses dois universos de uma maneira muito peculiar, de forma que ambos pareçam interligados, o que só auxilia a prender o leitor na narrativa. Além disso, a autora consegue jogar muito bem com vários tipos de criaturas e habilidades, muitas das quais geralmente não encontramos ou pensamos encontrar juntas em um só livro, e isso enriquece demais a trama.

Michelle é uma protagonista com a qual eu me identifiquei logo de início. Ela é uma garota ainda, mas já passou por muitas experiências horríveis nessa vida, que a transformaram em uma pessoa extremamente corajosa e generosa. Michelle, apesar de ainda sentir os traumas sempre presentes consigo, é muito positiva, e sempre incentiva aos outros e a si mesma a dar o seu melhor em tudo. Independente dos momentos de fraqueza, pelos quais todos nós passamos, a protagonista é forte, valente e segura de si. É uma daquelas pessoas raras que está disposta a se doar pelos que ama, pelos que valem a pena, sempre colocando essas pessoas em primeiro lugar. Além disso, a capacidade que a Michelle tem não só de acreditar nos outros, mas de despertar o melhor nas pessoas ao seu redor faz dela uma personagem imensamente carismática, e quase mágica. Eu, particularmente, aprendi muito com a dona Michelle!

A senhora Elza e Meredith são bruxas extremamente poderosas e pessoas incrivelmente bondosas. Elas acolheram Michelle sem nem ao menos saber de onde a garota vinha, e apesar de curiosidade natural sobre o passado da menina, em momento nenhum tentaram forçar as lembranças da garota. Porém, elas não possuem o coração tão puro e aberto quanto o de Michelle, talvez por já terem presenciado tanta crueldade, principalmente por parte dos irmãos Vergaminis. Elas não acreditam em nenhum momento que exista alguma humanidade naqueles que consideram monstros, e deixam isso bastante claro. Não as culpo e nem julgo por isso, afinal, elas perderam pessoas amadas por causa destes garotos, e, assim como todo ser humano, estão magoadas e revoltadas com relação às atrocidades cometidas pelos irmãos.

Os Vergaminis são pessoas extremamente rudes e egoístas, e exatamente por esse comportamento é que foram amaldiçoados a transformarem-sem em monstros e perderem tudo de mais precioso que tinham. Mas o preço cobrado foi alto: eles também ganharam poderes, e os usam da forma mais abominável possível, para matar todos que vem até eles. São sádicos, cruéis e desumanos. Mas como nem tudo nessa vida tem só um lado, eu também consegui enxergar outra face nesses monstros, aquela que eles fazem questão de esconder: eles têm medo. Medo de se aproximar de alguém e perdê-lo por conta da aparência que possuem agora; medo de se entregar e se apegar e mesmo assim serem mais uma vez abandonados; medo de se decepcionarem de novo, de machucarem-se e ver tudo que eles mais amam indo embora definitivamente. 

As  personalidades dos Vergaminis são bastante distintas entre si. Ethan é inteligente além do normal para um humano, e a mão direita de Danton. Luka é o mais convencido da família, e sempre se diz superior aos outros. Wolf é calado e perigoso, como o próprio nome já diz, guiado por seus intintos selvagens. Frank é um cientista inteligente e dedicado, e sempre procura algo novo para criar. Christopher é tímido e muito talentoso para a música, apesar de bastante amargurado e triste. Carl é o mais novo dos irmãos, e também o mais agitado, além de maldoso e travesso. Danton é o líder de todos eles, o que dá as ordens, e também é considerado o mais poderoso pelos irmãos, que o temem e seguem cegamente. Juntos, eles formam um time, mesmo não percebendo o quanto é forte a ligação que possuem.

Meu personagem preferido no livro foi o Wolf, achei-o misterioso, poderoso e extremamente charmoso. Ao mesmo tempo, ele é corajoso e forte, e protege aqueles que admira. Apesar de calado, Wolf também é muito sábio, e muito ressentido de tudo que aconteceu em sua vida. Ele perdeu a amada para outro homem, e isso o afeta mesmo depois de tantos anos do acontecido. Wolf é um dos mais poderosos entre os Vergaminis, mas também é solitário e tem um grande desejo oculto de encontrar alguém a quem possa se mostrar de verdade. Independente do jeito durão que aparenta no exterior, Wolf é doce e protetor, carinhoso e muito dedicado a quem o conquista de verdade. Ainda estou pensando no momento em um homem desses vai entrar na minha vida!

Danton também merece considerações especiais. Apesar de se mostrar cruel, inescrupuloso e imensamente assustador, Danton é completamente frágil, na verdade. Ele é o que mais teme a vida e as coisas que ela pode tirar dele. Seu papel de líder lhe dá o respeito (mesmo que através do medo) e uma maneira de manter seus irmãos sempre por perto. Mesmo não admitindo, Danton não quer se sentir só, e tem medo de perder aqueles que ama (porque sim, ele ama seus irmãos!). É mais fácil e confortável para ele mantê-los dominados do que confessar que precisa deles para ser totalmente completo e feliz. A personalidade de Danton foi moldada pela vida, e é o reflexo de todas as dificuldades e perdas pelas quais ele já passou. É claro que isso não justifica muitas de suas ações, mas nos ajuda a compreender um pouco daquilo que ele não mostra a ninguém.

Algo que eu gostei muito no livro foi a forma como a autora construiu seus personagens: eles são pessoas reais, com qualidades, defeitos, medos e angústias, tudo que nós temos. Isso nos aproxima deles, nos faz compreendê-los e amá-los da maneira mais pura que conseguimos, conhecendo-os por completo. Além disso, a veracidade do livro se mistura ao fantástico que existe ali dentro, e esse jogo não só torna a narrativa mais dinâmica, mas também nos mergulha dentro da trama, nos faz entrar de cabeça no livro.

O livro é precioso também por ele é permeado de lições. De superação, de aceitação, de força e coragem, de incentivo, tudo isso você encontra ali, nas entrelinhas dos diálogos, das conversas, dos monólogos, até dos próprios pensamentos e mudanças que os personagens sofrem no decorrer da narrativa. E o mais interessante e importante é que essas lições podem facilmente ser levadas para a nossa vida, cotidiana, diária, real!

A diagramação da editora é bastante simples, o que dá ainda mais destaque à história e todos os elementos que a compõem. A capa me agradou bastante, e depois de lido o livro você percebe que combina perfeitamente com o enredo. A fonte escolhida é agradável aos olhos e as páginas são amareladas, o que auxilia na hora da leitura.

A Filha do Norte foi um livro que me surpreendeu e conquistou, tudo intensamente. Os personagens acabaram marcando minha trajetória como leitora, e tudo que eles ensinaram vai ficar gravado em mim. Não vejo a hora de conhecer mais dessa história e do rumo que estes amigos já tão queridos vão acabar tomando. E você, que ainda não leu o livro, só tenho uma pergunta: tá esperando o quê?

Até a próxima postagem! Beijos!

[RESENHA BOOK TOUR] A Herdeira (Os Lobos de Ester #1) - Janice Ghisleri

Hey, pessoas!

Hoje é dia de resenha, e essa vem direto do Book Tour do qual o blog está participando! Venha você também se apaixonar pelos lobos deste universo, conhecendo A Herdeira, primeiro volume da série Os Lobos de Ester, da autora Janice Ghisleri!

A Herdeira

TÍTULO: A Herdeira (Os Lobos de Ester #1)
AUTOR: Janice Ghisleri
EDITORA: Planeta Literário
NÚMERO DE PÁGINAS: 375 páginas
SINOPSE: Eles eram milenares, míticos e poderosos, mas foram capturados e tratados como cobaias. Com a ajuda de um cientista foram libertados, e agora lutam para resgatar os últimos lobos e começar uma vida nova. Noah era o alfa. Apesar de belo e feroz, carregava profundas cicatrizes em seu coração. Por isso, estar perto de Ester era a última coisa que ele podia enfrentar, mas seu beta, Erick, pensava o contrário. Tudo estava indo bem para Ester. Ela tinha uma nova casa, além de uma clínica veterinária, e um admirador secreto que lhe enviava flores e presentes, até ela atender um chamado para ajudar um animal ferido. E assim, Ester entrou em um mundo paralelo, onde havia homens altos, fortes, sensuais e com olhos exóticos que jamais havia visto na vida. Após o choque de descobrir a verdade sobre seu pai, Ester soube que não era uma herdeira normal quando o conteúdo do seu testamento foi revelado. Um deles era um companheiro, e isso teria uma consequência imensa para a sua vida. Porém, nem imagina o que acontecerá quando descobrirem sua verdadeira identidade. Embarque nessa aventura e descubra qual o mistério que uniu a herdeira aos lobos.




    

Ester Klaus é uma veterinária dedicada e apaixonada, que sofre com a perda dos pais. Sua vida era sua clínica, seus animais e sua casa, até que ela recebe um chamado estranho, para cuidar de um paciente ainda mais inusitado: um lobo! A partir desse momento, Ester vê seus dias mudarem drasticamente, ao descobrir que seu pai não só forjou sua morte, mas também ajudou um clã de metamorfos a fugirem da vida de cobaia de laboratório que estavam encarando. Noah é o alfa desses lobos. Bonito, sensual, poderoso e extremamente persistente, o líder mexe com a cabeça de Ester, mas não consegue esconder que a moça também vira sua cabeça. Em meio a traições, ciúmes, resgates e superação de limites, um romance surge entre os dois, mas Ester não está preparada para deixar seu mundo de lado para viver com Noah, que também não está acostumado a ter suas vontades e caprichos negados. Será que o casal conseguirá ultrapassar as diferenças e dificuldades para viver esse grande amor?

Esse livro chegou até mim através de um Book Tour organizado pela autora, e eu confesso que estava empolgadíssima com a leitura, pois já havia lido comentários positivos e adoro as criaturas que protagonizam a saga. E eu posso dizer que a autora conseguiu alcançar todas as expectativas que eu poderia ter, e me conquistou de vez com essa história!

A começar pelo enredo do livro, temos ação, romance, intrigas, até mesmo um pouco de mistério, aquela aura de suspense em alguns momentos. A autora acertou em cheio da construção da trama; tudo se desenrola de forma gradual, e vamos aos poucos conhecendo todos os detalhes desse complexo e intrincado enredo. É importante frisar que Janice conseguiu criar algo novo, apesar de se utilizar de elementos já conhecidos por nós. A maneira como ela organizou esse aspectos, ao ponto de um ser ligado ao outro, um depender do outro no desfecho, tudo isso auxilia na apreensão do leitor até o final da narrativa. Este é um daqueles livros que, querendo ou não, você só conseguirá largar quando chegar ao fim!

Ester é uma protagonista bastante forte. Ela personifica em si várias características da mulher moderna: independente, segura de si, decidida, de personalidade forte e extremamente justa em todas as situações, apesar de um pouco cabeça dura. Veterinária completamente apaixonada, Ester fica dividida entre a vida estável que sempre teve e a felicidade que se descortina a sua frente, com Noah. Aqui aconteceu um dos únicos momentos do livro em que eu a vi fraquejar, e mesmo este instante foi temporário. É impressionante como ela consegue passar por situação delicadas ou até mesmo de perigo iminente, e sair delas no total controle de si mesma. Acabei me identificando com seus receios, com suas dúvidas, e até mesmo com seu jeito de ser, e isso acabou influenciando minha entrada nesse universo.

Noah é um típico galã: lindo e charmoso, o cara sabe usar as armas que tem. É aquele tipo de homem que tira a cabeça de qualquer mulher da órbita. Extremamente provocante e sensual, Noah é um homem forte, corajoso, poderoso e muito respeitado, não só por ser o alfa dentro da hierarquia da alcateia, mas também por seu senso de justiça e seu faro apurado para assuntos que interessam a todos do clã. Noah guarda consigo um lado que muito pouco demonstra: uma face fragilizada por perdas. Esse aspecto faz com que ele viva recluso, distante de tudo e todos, sofrendo em silêncio e sozinho. É aí que entra Ester, e a forma como ela mexe profundamente com ele, com seu coração, com seus sentimentos, fazendo-o voltar a viver novamente, é linda e comovente de se acompanhar. Noah sente-se receoso no início, mas conforme o relacionamento dos dois avança, ele se entrega totalmente, e deixa de lado todo o poder que ele geralmente tem sobre as pessoas para fazer Ester se sentir bem ao seu lado. É realmente incrível a forma com ele a protege e cuida, e como é fiel a ela e ao que ele tem. Os laços que os unem são fortes demais, e fazem leitoras sonhadoras como eu suspirarem a cada frase lida.

Preciso dizer, porém, que meu personagem favorito do livro foi Erick. Ele é uma espécie de representante do metamorfos no mundo humano, e por isso muda drasticamente para se adaptar a esse estilo de vida, inclusive sua aparência é distinta das demais. Mas o que mais me chamou atenção não foi sua diplomacia ou jogo de cintura, foi o jeito leve e ao mesmo tempo comprometido com que ele encara a vida e todas as situações que ela lhe propõe. Erick é um verdadeiro cavalheiro, sempre preocupada em atender as necessidades de todos a sua volta, sempre responsável e extremamente confiável. Como se não bastasse tudo isso, ele ainda possui uma aparência de tirar o fôlego, assim como todos os outros lobos do clã, e um gênio divertido e muito intuitivo (só tenho uma queixa sobre ele: por que ele não existe de verdade? Janice, não se colocam essas ilusões na cabeça das leitoras, ouviu? Isso é praticamente tortura!). Se eu tivesse que elencar uma palavra para descrever Erick, ela seria ideal.

Os outros integrantes do clã, aliás, não são menos interessantes. Todos eles tem sua parcela de participação no desfecho do livro, mesmo o foco central sendo Ester e Noah, além de possuírem suas próprias personalidades, muito bem definidas e construídas pela autora, e seus próprios sofrimentos e alegrias. Me apaixonei por cada um deles, de um jeito diferente, e fica difícil encontrar nesse mundo literário personagens que tenham me tocado tanto. Eu acabei me apegando a eles, fazendo parte daquela família inusitada, mas cheia de amor e carinho. É lindo ver a forma como eles protegem uns aos outros, como sempre buscam a harmonia com seus semelhantes, como não medem esforços para fazer o que estiver ao alcance de cada um pelo bem e felicidade de todos. Talvez devêssemos nos espelhar um pouco mais neles, e deixar de lado esse jeito egoísta que sempre nos afasta de quem realmente nos ama e nos quer por perto.

Outro ponto forte na história são as cenas sensuais, principalmente entre Noah e Ester. E vocês sabem o quanto eu fico receosa quando esse tipo de tema entra em jogo em um livro, pelo meu sempre presente medo de esses momentos se sobreporem a todo o enredo. O que não aconteceu aqui. A autora soube encaixar esses excertos a favor do foco principal, que é e sempre foi a relação entre Noah e Ester. Fiquei contente de perceber que esse momentos íntimos só agregaram e deram força à relação dos dois, além de fortalecer o clima de romance que permeia o livro inteiro.

Mas um dos elementos que eu mais gostei no livro foi a forma como a autora trabalhou com a alcateia liderada por Noah. Nós conhecemos todo o percurso que eles percorreram para chegar até o momento atual, e conseguimos compreender como funciona o mecanismo dentro deste grupo e como são fortes as relações de amizade, lealdade e companheirismo. 

Além de tudo isso, que foi muito bem explicado pela Janice, a autora ainda nos brinda com vários desafios que dão aquele ar de aventura à narrativa, nos tirando o fôlego e fazendo-nos ficar ainda mais vidrados na história, esperando pelas surpresas da próxima página.

A diagramação é bastante simples, dando destaque total ao conteúdo que encontramos no livro. A capa é maravilhosa, e combina perfeitamente com o enredo e seus personagens. Não encontrei erros de revisão, o que é um fator extremamente positivo, e a fonte escolhida é bastante agradável à leitura.

Como primeiro livro de uma série, acredito que A Herdeira faça mais do que apenas cumprir um papel introdutório deste mundo: ele não só nos apresenta ao universo dos lobos, mas também faz o leitor se apaixonar por tudo isso. É impossível não amar a fofura da Lili, não admirar a força da Jessy, não se encantar pelo jeito durão de Petrus, não querer rir com Erick, não ser contagiada pela coragem e ousadia da Ester ou pelo espírito livre de Noah. Não existe uma forma de explicar todos os sentimentos que o livro nos desperta em palavras, então minha dica é: leiam! Mas leiam preparados para a enxurrada de paixão que ele vai acabar trazendo para vocês!

Até a próxima postagem! Beijos!

[NOTÍCIAS] Novidades da Autora Patricia Maiolini

Hey, pessoas!

O post de hoje vem trazendo muitas novidades da autora parceira Patricia Maiolini para vocês! 

A Pati começou a publicar seus livros no Wattpad, e muitos já devem ter tido a oportunidade de acompanhar o trabalho dela por lá. Agora, além de um novo título gratuito no Wattpad, a Patricia acabou de lançar seu livro O Mistério da Garota Sangrenta, destaque na rede de leitura, na Amazon!

Querem saber mais sobre eles? Se liga aqui!



Título: O Mistério da Garota Sangrenta
Autor: Patricia Maiolini
Amazon
Sinopse: O que aconteceria se você se mudasse para uma casa assombrada por espíritos? Você acreditaria que eles existem ou acharia que é apenas a sua imaginação? É o que acontece com as gêmeas Katherina e Charlotte Collins que se mudam para uma casa, onde ocorrem eventos sobrenaturais... Objetos levitando, aparições, um álbum de época, assassinatos de animais e pessoas e um diário que revelará muitas descobertas são apenas alguns acontecimentos ocorridos nessa estadia macabra. Será que é apenas a imaginação das duas ou elas realmente correm perigo ao viver ali? Você entraria na casa, mesmo sabendo que pode nunca mais sair?

Acusada

Título: Acusada
Autor: Patricia Maiolini
Wattpad
Sinopse: Uma nova garota chega ao colégio interno Canadian Academy Intern. Seu nome é Marina Moura e ela tem 17 anos de idade. Alguns dias depois, uma antiga aluna muito popular na escola é encontrada morta próximo a fonte da escola. Surgem alguns boatos que incriminam a garota. Marina decide então, investigar quem é o verdadeiro culpado e o motivo por ter cometido tal assassinato e assim poder provar sua inocência. Todos são suspeitos. Quem será o verdadeiro assassino? Você está preparado para descobrir?


E aí, curtiram as histórias? Se quiserem acompanhar as novidades da autora é só curtir a fanpage no Facebook! E fiquem ligados, porque a O Mistério da Garota Sangrenta vai virar livro físico, sim, senhor! Em breve trago mais novidades!

Até a próxima postagem! Beijos!

[RESENHA] Os Três Casos - Tiago Moura

Hey, pessoas!

A resenha de hoje vai falar sobre Os Três Casos, do autor Tiago Moura, cortesia mandada pela editora parceira Chiado!



TÍTULO: Os Três Casos
AUTOR: Tiago Moura
EDITORA: Chiado
NÚMERO DE PÁGINAS: 189 páginas
SINOPSE: As luzes apagaram-se. As portas estavam fechadas. Estavam dentro de uma nuvem, e por isso não se via nada. Ouviram-se gritos. Ouviu-se um grito ainda mais forte. Ouviu-se o som seco de um corpo caindo no chão. E depois não se ouviu mais nada.





Este foi um livro que o blog recebeu em parceria com a Chiado Editora, e eu confesso que quando solicitei, devido a premissa que ele possuía, tinha expectativas bastante elevadas com relação a ele. Infelizmente, isso pode ter acabado influenciando minha leitura, e eu não consegui encontrar dentro do livro o que ele prometia na sinopse.

Aqui vamos conhecer Mack McMillan, um detetive conhecido internacionalmente por todos os casos solucionados e desvendados por ele. Este exótico "Sherlock", acompanhado de seu fiel escudeiro Mr. Marson, depara-se, neste título, com três casos complexos e singulares, que ele precisa desmistificar e chegar a um culpado.

O livro é dividido em três partes, cada um delas contando um dos três casos que o detetive resolverá neste título. Gostei dessa forma de organização, acredito que ela torne o diálogo e a compreensão do leitor mais fácil, além de dar um bom andamento no livro.

Até aqui tudo ótimo, a história começa a decair já no seu enredo. Primeiro, com relação ao personagem principal, McMillan, não foi caiu nas minhas graças. Eu não consegui me conectar ou ganhar empatia para com ele, e isso influenciou de maneira significativa o meu olhar sobre a história. Egocêntrico, convencido, o detetive pensa que o mundo deve girar ao seu redor, acha-se superior aos meros mortais que contratam seus serviços, e sempre que é criticado vê isso da pior forma possível. Não é exatamente o melhor tipo de pessoa do mundo, e para falar a verdade, eu não vi todas as qualidades que ele enxerga em si mesmo.

Os casos também não tiveram aquelas sacadas geniais que o gênero geralmente propõe. Dá para perceber que o autor se inspira muito nos livros cujo protagonista é Sherlock Holmes, até existem diversos elementos comuns entre as duas obras. Porém, as comparações param por aí, porque a trama aqui não é complexa, intrincada ou envolvente como nos títulos de Doyle. Tudo acontece rápido demais, e sem nenhum motivo aparente, tornando os crimes supérfluos e seus motivos ainda mais incompreensíveis.

A dinâmica que o autor usa para narração é bastante repetitiva, e apesar de mostrar todos os passos da investigação, até o sucesso de McMillan, isso acaba ficando monótono logo depois da primeira parte. É sempre o mesmo esquema: o crime acontece, é narrado, logo depois são descritos os interrogatórios de todas as possíveis testemunhas (lê-se suspeitos), e então, como por mágica, o detetive encaixa todas as pistas, que ele guarda só para si, e nos apresenta a solução do caso. Eu acredito que isso deixa o leitor completamente apático e à parte na história, não conseguindo prendê-lo ou fazê-lo interagir com as pistas e os próprios crimes a serem desvendados, característica que eu mais gosto dentro do gênero investigativo. Aqui isso não acontece, e esse foi um dos pontos que mais me decepcionou no enredo.

Com relação aos personagens coadjuvantes, eu achei sua construção bastante superficial, é como se eles estivessem ali apenas para suprir o cenário, dar volume ao elenco, ou então servirem como meros suspeitos dentro do enredo. Não possuem ação que realmente faça diferença dentro do enredo, e eu vi eles como completamente dispensáveis.

A voz do narrador foi algo que não me incomodou, mas também não me empolgou em nenhum momento. Ele não interfere na história, e ele está ali simplesmente para nos contar aos fatos, como um espectador, como nós mesmo acompanhando o desenrolar dos casos e das investigações.

A diagramação da editora foi um dos pontos fortes do livro. As páginas são amareladas, a capa é muito bonita e coerente com a história, e eu não encontrei erros de revisão, além de ter sido utilizada uma fonte mediana e agradável à leitura.

Infelizmente, não foi um livro que tenha me agradado. Mesmo assim, eu acredito que cada um de vocês que se interessarem por ele devem dar uma chance ao título, pois podem acabar tendo opiniões e impressões diferentes ou contrárias às minhas. Além do mais, leituras são sempre proveitosas, de um jeito ou de outro, cabe a nós descobrirmos esses lados nas histórias!

Até a próxima postagem! Beijos!

[DIVULGAÇÃO] Convite de Lançamento de A Escolhida e A Fada Madrinha

Hey, pessoas!

A postagem de hoje é mais do que especial! Como todos vocês já devem estar sabendo, os livros A Escolhida, da autora parceira Amanda Ághata Costa, e A Fada Madrinha, de Kate Willians, serão lançados pela editora Arwen nesse fim de semana, na Livraria Martins Fontes em São Paulo!


O evento acontece nesse dia 20 (amanhã!), a partir das 15:30h, na Avenida Paulista. Lá vocês vão poder não só conferir o incrível trabalho que a editora fez com os livros, mas também conversar com as autoras, autografar seus exemplares, concorrer a brindes exclusivos e dar um grande abraço em cada uma das meninas, porque, afinal, elas merecem, não é?

Para quem ainda não conhece os livros, abaixo você encontra as sinopses e capas de cada um deles!

A fada Madrinha
Uma princesa mal humorada. Um príncipe nada encantado e uma fada para lá de atrapalhada. Isso vai terminar em casamento ou em uma grande confusão? O sonho da fada Emily sempre foi ser responsável por um “Felizes para Sempre” e ela está disposta a tudo para realizar seu sonho. A princesa Cate nunca quis o seu “Felizes para Sempre”, mas não está nada conformada com seu destino. Harry não está nem aí para o “Felizes para Sempre”, só quer se livrar da chata da Cate. Quando todos precisam trabalhar juntos para restaurar a ordem no mundo das fadas, o que era importante torna-se insignificante e grandes verdades são reveladas. Tudo com muito humor e diversão.


A Escolhida

Em uma cidade repleta de pessoas desconhecidas, Ari poderia ser apenas mais uma garota perdida na multidão, como tantas outras que foram abandonadas pelos pais. Através de sua aparência impecável e feições delicadas, ninguém conseguiria supor quem ela é e o que gosta de fazer: um anjo com sede de sangue, sempre disposta a ceifar novas vítimas. Porém, tudo muda quando é capturada por dois feiticeiros e levada para o círculo, lugar onde eles vivem sob a liderança de Egran, um homem cruel que não mede esforços para conseguir o que quer. Em meio a várias mudanças repentinas, terá de enfrentar suas convicções a fim de descobrir um lado de si mesma que não imaginava existir. Será que o amor vai fazer brotar a alegria em seu coração? Ou ele irá arrastá-la diretamente para a morte? Ari será capaz de finalmente superar o próprio passado sombrio ou sucumbirá a ele, deixando pelo caminho mais um grande rastro de destruição?

Que artes de capas são essas, minha gente? Alguém tem dúvida de que esse lançamento derrubará todos os forninhos possíveis? Não perde tempo, não! Confirme sua presença no evento aqui, e bora lá!

Meninas, queria muito estar aí nesse dia, mas a distância me impede de me fazer presente. Mesmo assim, fico aqui na torcida para que tudo seja lindo e mágico como vocês duas merecem. Parabéns e tenham certeza que este é apenas o primeiro passo de uma longa e maravilhosa jornada!

Até a próxima postagem! Beijos!

[TAG] Viciados em Séries

Hey, pessoas!

Numa das minhas andanças pela blogosfera, encontrei no blog Seguindo o Coelho Branco, da querida Alice, uma tag com a qual me identifiquei muito, visto que sou uma seriadora incontrolável e inveterada! Então, aqui vão as minhas respostas, pois resolvi trazê-la para o nosso cantinho também!

1. Qual sua série favorita?


Eu tenho diversas séries na minha grade, e gosto demais da maioria delas, obviamente, mas sempre que me perguntam sobre alguma, Criminal Minds é a primeira que me vem à cabeça, a cabeça da lista, e acredito que isso faça dele minha série favorita, com certeza (vamos fingir que o Morgan não tem absolutamente nada a ver com isso, ok? Ok!).

2. Qual série você indica pra todo mundo?


Essa é uma das minhas séries preferidas, e eu sempre procuro deixá-la em dia (o que só prova que ela é bem importante na minha grade!). Indico pra todos porque ela realmente tem condições de agradar a todo o tipo de público: tem uma trama envolvente, personagens bem construídos, enredo complexo e uma boa dose de mistério, que sempre cai bem, não é?

3. Qual série tem o melhor figurino?


Eu sou completamente apaixonada pelo figurino desta série, cheio de detalhes, com atenção a cada pormenor, dando aquele aspecto caprichado que mostra de longe o esforço e dedicação de toda a equipe por um trabalho bem feito.

4. Qual foi a última série que você assistiu?


Se você já assistiu Dexter, entende minha obsessão quase doentia por essa série, e se ainda não assistiu, o que está esperando?

5. Já ficou triste com o final de alguma série?


Só o cancelamento dessa série já me deixou devastada, imaginem vocês como eu fiquei quando assisti o último episódio. Meus olhos enchem de lágrimas só de lembrar!

6. Qual personagem você gostaria de ser?


Rebecca, das séries The Vampire Diaries e The Originals, é uma das personagens femininas que eu mais admiro nesse universo. Apesar de ser uma megera em muitas ocasiões, a garota também segue seu coração, preza pela família, é poderosa e saber muito bem o que quer e como chegar lá. Com certeza eu adoraria ter a personalidade decidida e segura que ela tem, portanto ela é minha escolha nessa questão.

7. Qual série você tem vontade de assistir?


Falam tão bem dessa série, e eu sou tão apaixonada pela ideia de uma heroína feminina totalmente incrível e independente que eu nem sei porque não comecei a assistir ainda, mas assim que abrir um espacinho na agenda ela vai ser prioridade!

8. Qual série você não tem vontade de assistir?


Podem me julgar o quanto quiserem, mas essa série me dá tiques nervosos! Eu juro que tentei assistir a uns dois ou três episódios, mas não consegui me conectar ao enredo ou personagens. Talvez com os livros fosse diferente, mas são tantos volumes que eu tenho preguiça só de pensar. Sorry, guys!

9. Você assistiu uma série só por assistir?


Lembro de ter assistido um pedaço de alguns episódios na TV, mas não foi a experiência mais agradável do mundo, não!

10. Pense em alguém, diga o nome dessa pessoa e fale uma série que vocês gostam em comum.

Danieli. Nós duas gostamos de CSI!

E aí, viajantes, curtiram a tag? Podem me contar nos comentários suas séries preferidas, e sintam-se à vontade para levar a brincadeira adiante!

Até a próxima postagem! Beijos!