[RESENHA] As Amazonas das Montanhas (Livro II) - Marih Macar

Hey, pessoas!

A resenha de hoje fala sobre um livro recebido pelo blog da Editora Modo, especialmente para resenha. Conheçam e fascinem-se vocês também por As Amazonas das Montanhas, da autora Marih Macar!

As Amazonas das Montanhas - Livro II

TÍTULO: As Amazonas das Montanhas (Livro II) - O Segredo das Guerreiras
AUTOR: Marih Macar
EDITORA: Modo Editora
NÚMERO DE PÁGINAS: 243 páginas
SINOPSE: A vida segue dura nas inóspitas montanhas, domínios das amazonas...
Apesar da saúde frágil, a rainha emérita Karina tem uma revelação surpreendente, que pode mudar, não só diretamente as vidas da princesa Diouxie e da guerreira Kíria, como toda a Nação Amazonas. Entre a revelação, a descoberta e a concretização de tal segredo, fortes paixões acontecem, novas personagens chegam à aldeia, traições são descobertas e as guerreiras amazonas se veem obrigadas a lutarem para defender seus domínios.

    

Elas são lindas, lendárias e destemidas. Vivem nas montanhas e defendem seus domínios com suas vidas, se preciso for. Elas são as amazonas, mulheres nascidas para a guerra, ferozes e selvagens. A rainha Karina sabe do perigo que correm caso alguém descubra sua existência, e por isso sua descoberta se faz ainda mais importante, não só para seu povo, mas principalmente para a princesa Diouxie e para a guerreira Kíria, cujos destinos estarão mais ligados do que elas podem imaginar. É por isso que antes de sua morte, Karina vê-se obrigada a entregar às duas garotas um livro, onde conta seus experimentos e todas as revelações que fez. A chegada de duas forasteiras, resgatadas pelas próprias amazonas, trará novos desafios, traições, intrigas e romance. O que será que o destino reserva para estas mulheres guerreiras? E qual é a descoberta que será capaz de mexer com toda a raça amazona?

Este livro chegou até mim através de uma proposta da editora Modo, especialmente para leitura e resenha. Me interessei desde o início por ele, por conta do seu assunto central: a lenda das amazonas, tema tão interessante e um tanto quanto esquecido na literatura atual. O livro todo gira basicamente dentro da premissa da sinopse, mas muitos fatos acontecem nesse meio tempo, até o desfecho final, e todos eles prendem a nossa atenção de uma forma completa e incondicional. É importante destacar que o livro lido por mim é o segundo volume da série, mas nem isso diminui a maestria da autora, que soube desenvolver um enredo inteiramente compreensível, e praticamente independente do primeiro livro.

Logo no início somos apresentados a rainha Karina, uma mulher afável e muito forte, além de inteligente ao extremo. Ela governa a nação amazona, e todos os seus estudos são para o bem de seu povo, assim como qualquer atitude que ela possa vir a tomar. Já conhecemos a rainha em sua fase menos ativa, pela doença que a acomete e que a leva a falecer, mas nem por isso sua importância e brilho dentro da história diminuem.

Diouxie é a encarnação da força e da coragem de toda a nação amazona. Ela é valente, destemida, enfrenta qualquer batalha e inimigo, e emana uma sensualidade nata, capaz de despertar sentimentos e desejos por onde passa. O que mais me marcou em seu caráter, porém, foi seu poder de persuasão e manipulação de outras pessoas. Ela sabe do efeito que causa, e usa isso para seus propósitos e necessidades, um pouco egoístas, muitas vezes, confesso. Mas é impossível negar que Diouxie, além de uma guerreira leal e disposta a tudo para proteger o segredo de seu povo, é atraente e poderosa.

Yanka é um pouco mais tímida que Diouxie, apesar de ser descrita tão bela quanto a ruiva. É também uma guerreira excelente, mas sofre com a insegurança e os receios de não agradar, principalmente a Diouxie, seu grande amor. Confesso que simpatizei bastante com a garota e torci muito pela sua felicidade no decorrer do enredo, mas também preciso admitir que ela foi bastante masoquista em muitos momentos dentro da narrativa.

Kíria é uma guerreira exemplar e muito bela, a alma da nação amazona. É ela a encarregada das missões de exploração, e também é ela que mexe com o coração de Diouxie. Na maior parte do livro, Kíria está em viagem com sua companheira, a pedido das rainhas eméritas Joana e Paola, e por isso acabei me identificando e conhecendo-a menos do que às outras personagens. Através do pensamento de Diouxie, porém, fica clara sua beleza e força, características bastante comuns entre as amazonas.

Sofia e Lara são duas forasteiras que entram no mundo das amazonas de pára-quedas, e conseguem interferir nele. As duas são bastante diferentes: enquanto Sofia está animada e pronta para tornar-se a mais nova amazona daquele povoado, Lara só pensa no quanto toda aquela experiência tem sido estranha e em como sair daquelas montanhas viva. Mal imaginam elas o quanto suas vidas e destinos estão ligados a essas estranhas guerreiras!

Um dos aspectos importantes a serem destacados é que o livro possui uma pegada LGBT, o que o torna muito relevante, principalmente porque a autora consegue abordar o preconceito de forma delicada e ao mesmo tempo coerente dentro da narrativa. Os romances entre as guerreiras, a descoberta de novas experiências e a superação de tabus pré-estabelecidos, todos estes temas estão ali, e não aparecem de forma velada, mas bastante perceptível dentro da trama, apesar de serem trabalhados e forma sensível e vagarosa, assim como as cenas mais quentes existentes durante a narração: todas elas são esteticamente belas, sem parecerem vulgares ou apelativas ao extremo. A linguagem utilizada pela autora colabora muito nesse processo, com a escolha de palavras que demonstram a ideia principal, sem serem explícitas em demasia.

O que eu mais gostei no livro, além da temática extremamente interessante e do assunto atual e relevante que a autora encaixou em sua obra, foi a relação entre Lara, a forasteira, e Áquila, uma guerreira amazona de um povoado distinto. Tudo entre elas acontecem da forma mais doce e bela possível, e se torna difícil não torcer para Lara deixar seus receios e preconceitos de lado e se entregar a um amor tão puro e bonito. A maneira amorosa com que Áquila cuida e protege Lara, a forma como Lara descobre-se envolvida com a guerreira, tudo isso é mágico e incrivelmente sublime de se acompanhar. O envolvimento entre Diouxie e Yanka, pelo contrário, teve muito mais a ver com atração física do que com sentimento, a meu ver, principalmente no que se refere à princesa, que não se entregou verdadeiramente a essa relação.

Dei 4 estrelas ao livro por um fato bastante simples: eu senti falta de maiores explicações. Para que vocês consigam me entender, posso dizer que eu sou uma daquelas leitoras extremamente curiosa, que sempre encontra um milhão de perguntas pra fazer a qualquer livro que lê. E com um assunto tão interessante quanto as lendárias amazonas, é claro que isso não foi diferente. Gostaria de saber um pouco mais sobre elas, sua origem, sua civilização, tudo aquilo que as envolve. É claro que este é o segundo livro da série, e esses elementos tenham sido reservados ao primeiro, e existe uma espécie de introdução muito bem colocada pela autora logo no início do livro que nos explica um pouco sobre o mito das amazonas, mesmo assim eu gostaria de ter tido maiores referências a esses aspectos principais dentro do enredo construído pela Marih.

A diagramação está bastante especial e bonita graficamente. A capa tem muito a ver com o tema e conteúdo do livro, e a imagem que inicia cada capítulo deixa as páginas ainda mais graficamente interessantes. A fonte escolhida é agradável à leitura e eu não encontrei muitos erros de revisão, o que quer dizer que a editora fez um bom trabalho.

Ao final da resenha, posso dizer que me sinto conquistada. Pelas amazonas, por suas crenças, por sua coragem, e, principalmente, por sua força. Essas mulheres são uma personificação da valentia que nós, mulheres modernas, precisamos para encarar todos os conceitos já estabelecidos sobre nosso gênero e nós mesmas. É impossível não construir uma relação entre nossos tempos e o que as amazonas representam, e o grande barato do livro para mim vem exatamente daí!

Até a próxima postagem! Beijos!

[DIVULGAÇÃO] Lançamento de Desafiados a Amar

Hey, pessoas!

Vocês já devem ter visto por aqui o primeiro livro de Jorgeana Jorge, À Espera de Um Adeus (caso ainda não viram, cliquem aqui), e recentemente recebi a notícia de que a autora lançou a sequência deste volume, denominada Desafiados a Amar. É sobre ele que vamos fala hoje! Conheçam um pouco mais dessa história romântica e cativante!

Desafiados a Amar

Título: Desafiados a Amar
Autor: Jorgeana Jorge
Editora: Amazon
Número de Páginas: 321 páginas
Ano de Lançamento: 2016
Skoob - AmazonSinopse: Os piores pesadelos não são aqueles que temos quando estamos dormindo; os mais devastadores são os que nos assombram quando estamos bem acordados. E desta vez Samantha estava! Ventos impetuosos de um inverno congelante se abateram sobre o lar dos Cadore. E quando Samantha percebeu tudo estava em ruínas. Principalmente, o coração daqueles que ela mais amava. Reconstruir sua vida e sua família lhe pareceu impossível. Só que ela não estava sozinha nessa luta. Samantha recebeu o maior desafio de sua vida: amar e perdoar aqueles que mais a ofenderam. Será que o coração de nossa protagonista aceitaria esse desafio? Perseverança, amizade, traição, perdão e muito amor temperam esse romance intenso e libertador.

O segundo livro da Jorgeana está lançado em formato digital, pela Amazon, e isso é mais um desafio que nós, os leitores, teremos de ajudá-la a superar. Com certeza Desafiados a Amar será um sucesso, como foi À Espera de Um Adeus, e nós aqui do Livros Viajantes estamos torcendo pelo reconhecimento que a autora tanto merece, e também para que mais leitores conheçam essa história de amor, fé e perdão. Ainda não conhece a autora? Confira abaixo alguns dados dela, para ficar mais atento e se comunicar com a Jor se preferir!

Escritora Jorgeana Jorge
Varzealegranse de nascença e juazeirense de coração, Jorgeana Jorge é casada e tem dois filhos. Procura equalizar seu tempo entre a família, as aulas no IFCE, a Igreja e os livros; paixão antiga que nasceu quando ganhou o primeiro livro do seu pai. A descoberta como escritora veio muito tempo depois , em resposta à necessidade de extravasar a avalanche de ideias em sua mente. Quinze anos atuando junto com seu esposo no aconselhamento de casais, lhe renderam uma farta bagagem e muito aprendizado. À espera de um Adeus foi tecido no coração da autora, numa tentativa amorosa de despertar casamentos adormecidos. Essa é a sua maior expectativa e mais nova missão.



E aí, curiosos? Pois então não percam tempo! Acessem este link aqui e adquiram já o seu e-book, para se apaixonar por essa história você também!

[RESENHA] O Lago Negro - Juliana Daglio

Hey, pessoas!

Como todos vocês já sabem, a autora Juliana Daglio, paceira aqui do blog, tem trazido inúmeras novidades para este nosso mundo literário. Enquanto esperamos ansiosamente o segundo volume de Uma Canção Para Libélula (confiram a resenha do primeiro livro aqui), vamos acompanhar a saga de Verônica em O Lago Negro, publicado recentemente pela editora Arwen!

O Lago Negro
TÍTULO: O Lago Negro
AUTORA: Juliana Daglio
EDITORA: Arwen
NÚMERO DE PÁGINAS: 368 páginas
SINOPSE: Verônica é uma garota problemática marcada por um passado traumático do qual mal se lembra, mas que lhe tirou o direito à total sanidade. Ao se mudar para o interior, depois de passar no vestibular, ela se depara com o local perfeito para se inspirar e, finalmente, transformar seus personagens imaginários em um livro. Lagoana é uma cidade nebulosa, úmida, habitada por almas quietas e pouco amigáveis. Porém, o clima obscuro não despertará somente a criatividade, mas também acordará seus fantasmas mais profundos. Prestes a perder o controle sobre sua trama e sua mente, Verônica conhece um estrangeiro de sorriso cafajeste e olhos azuis e, desconfiada de suas intenções, ela guarda segredo quanto ao seu livro, mas não sabe que Liam também tem os seus. Verônica nem desconfia, mas eles podem ser a chave para os mistérios que a rondaram durante toda sua vida. Assim, o lago negro de sua imaginação será, definitivamente, o estopim para toda sua loucura emergir. O que será que ele esconde no fundo de suas águas escuras?


A Loucura chama.

     

É lógico que não poderia ser surpresa para ninguém eu amar um livro da Juzinha, mas este realmente me tirou o fôlego! Vou tentar colocar aqui nesta resenha todas as sensações maravilhosas que O Lago Negro me causou, mas já adianto que não vai ser fácil e muito menos rápido, então sentem-se e preparem-se!


Neste primeiro volume de uma série de três outros livros, somos apresentados a Verônica Cattani, uma garota traumatizada por um passado do qual não possui nenhuma lembrança profunda, convivendo com a insanidade que se faz desde cedo sua fiel companheira. Por conta de toda essa confusão, Verônica é uma jovem bastante fechada em si mesma, que só consegue se abrir com Enzo, seu melhor amigo e namorado, com o qual ela vai viver uma experiência nova e revigorante em Lagoana, cidade pequena e sombria que seria a ambientação ideal para o enredo de um livro que a nossa protagonista tinha em mente desde sempre. Isso em tese, é claro. Em Lagoana, Verônica conhecer muitas pessoas e lugares, entre eles o casal Caprini, donos da maior indústria de água mineral do lugar, e sua casa macabra. É a partir de então que a vida de Verônica muda completamente, e toma um rumo inesperado até mesmo para a mente fantasiosa e turbulenta da garota. Na história, entra um estranho lago negro, com o qual Verônica se sente intimamente ligada, além de um completo estranho que consegue balançar as estruturas da jovem. Quais serão os segredos que Verônica terá de desvendar agora? E por que ela sente que aquele lago faz parte de si mesma?

Quero começar esta resenha deixando clara o quanto eu fico cada vez mais pasma com a criatividade da Ju, e com o talento que ela tem não só para a escrita, o que é bem óbvio, mas para surpreender seus leitores. O enredo criado pela autora neste livro ultrapassa qualquer barreira da sanidade que se possa imaginar, e eu não estou dizendo isso apenas pela protagonista e as experiências que ela enfrenta. Conforme avançamos na narrativa, nos vemos tão tragados para aquele mundo que é impossível sair imune dessa leitura. Ela é uma daquelas que marcam você, e que ficam dentro de nós por muito mais tempo do que a última página delimita.


Verônica é uma personagem bastante complicada. Mas, por incrível que pareça, me identifiquei e consegui compreendê-la desde o início da leitura. Por conta de tudo que já aconteceu na vida da jovem, inclusive a perda do pai, com o qual ela se sentia bastante ligada, e sua passagem pela clínica psiquiátrica, sua vida é um emaranhado confuso e nebuloso com o qual nem ela mesma sabe lidar muitas vezes. A força que ela encontra para seguir enfrente vem em parte de Enzo, seu namorado, e em parte por conta de seu sonho de seguir a carreira de seu pai como escritora. É por conta dessa esperança que ela muda-se para Lagoana, mas na verdade o que ela estava buscando não era apenas a realização de um sonho, mas sim a expectativa sempre presente de sentir-se normal outra vez, e não insana ou perigosa para si mesma como as pessoas a veem. Eu me envolvi com a protagonista logo de cara, criei empatia, sofri e torci por ela, me senti ligada a ela de uma forma que há algum tempo não acontecia. Mas isso não me surpreende: as personagens da autora geralmente conseguem despertar algo em mim, algo que eu não sei explicar, mas que me faz senti-las reais e estranhamente próximas.

Enzo foi um dos personagens que mais conseguiu me deixar boquiaberta nos últimos tempos, de um jeito bastante ruim. No início ele era compreensivo, protetor, cuidados e um ótimo ouvinte, exatamente o que Verônica precisava para se sentir segura. Depois de um tempo, porém, era como se ele tivesse cansado de aguentar tudo isso sozinho, do 'fardo' que tinha de carregar, e então ele mudou inteira e profundamente, e eu só tenho uma palavra para descrever a pessoa na qual ele se tornou: babaca, um perfeito canalha. Muitas vezes, em várias situações, eu me vi furiosa, xingando ele ao extremo, completamente frustrada pela sua cara de pau. Sinto muito, Ju, mas o Enzo me causou enjoos!



Liam, pelo contrário, foi amor à primeira vista! Um garoto enigmático, que surge do nada e toma conta da situação (e de Verônica) de um jeito forte e seguro. Inteligente, perspicaz e extremamente charmoso, Liam mexe não só com a cabeça de Verônica, mas também com as de todas as leitoras, inclusive com a minha. É fácil se apaixonar pelo Liam, porque ele faz todo o trabalho difícil da conquista sozinho e sem nem perceber. Ele é o cara dos sonhos de qualquer garota, e é incrível ver o modo como ele cuida da Verônica e de toda a situação pela qual ela precisa passar.

O casal Caprini, Vicente e Katarina, é bastante misterioso. Eles e toda a família e história que os envolvem. Sua filha e o modo como eles acolhem Verônica entre eles, as necessidades que possuem e os segredos que escondem, tudo isso são como ímã para leitores curiosos e cheios de vontade investigativa, como eu, por exemplo. No decorrer da história conhecemos mais deles e de seu passado, e eu realmente não consegui enxergá-los como vilões em momento nenhum. É indispensável dizer que eles influenciam diretamente no rumo que a narrativa toma, mas eles não estão do lado negro da força. Posso dizer que eu os achei extremamente interessantes, no mínimo!



O enredo criado pela autora é complexo, e acompanhá-lo não é uma tarefa fácil. Exige atenção, controle e perspicácia, tudo aquilo que os nossos queridos personagens têm de sobra. Mas, sinceramente, não poderia ser mais gostoso se enredar pelos mistérios e segredos que existem dentro da trama. Juliana consegue reunir elementos distintos e fazer com que eles se encaixassem de uma maneira total e completa. Não só personagens diferentes, mas também aspectos de vários gêneros literários, como o thriller, o policial, a dark fantasy e, não menos importante, o romance, que acontece de uma forma leve e doce. Tudo isso para construir uma trama intrincada, do início ao fim, que prende o leitor, e o chama para fazer parte deste enredo.

Algo que eu gostei muito dentro do livro foi a forma como a Juliana conseguiu interagir com o leitor em todos os momentos, além de integrar o livro escrito por Verônica com a vida real que eles enfrentam dentro da trama. Não posso falar muito, mas posso dizer que a cada nova descoberta que eu fazia eu queixo caía mais um pouco, até chegar o ponto em que eu havia desistido de criar alternativas ou hipóteses e me deixei ser levada pela trama tão bem construída pela Juzinha. E foi a decisão mais sábia que eu já tomei! Me diverti, me surpreendi, me rendi aos encantos e à magia do lago negro, à imaginação de Verônica, ao charme de Enzo e aos mistérios dos Caprini.

A intercalação de capítulos do livro escrito por Verônica com o que realmente acontece dentro do enredo principal da história dá ao leitor a chance de montar esse enorme quebra-cabeças ou de pelo menos tentar encontrar algum caminho no meio de todas as informações inseridas aos poucos pela autora. A importância dos personagens secundários também é algo que impressiona, a forma como todos eles interferem na trama e dão novas direções ao nosso pensamento na medida em que mudam os caminhos da trama.



A diagramação da editora Arwen é praticamente artística, é incrível e não há como não se embasbacar olhando para aquelas páginas. Desde a capa até os detalhes de cada capítulo e todas as ilustrações que acompanham a história embelezam o livro inteiro e deixam a leitura ainda mais incrível. Não encontrei erro de revisão, e a fonte utilizada é agradável e auxilia na hora de ler. Tudo pensado para agradar ao público leitor!

Ao final dessa resenha, posso dizer que eu mal consigo esperar para o próximo volume da série. A história de Verônica me conquistou, me ganhou por inteiro, e me deixou completamente fascinada. O talento de Juliana é impressionante, e o dom que ela tem para a escrita é perceptível a cada palavra lida. O Lago Negro é um livro marcante, indescritível, emocionante e cheio de ação, capaz de se infiltrar nos seus pensamentos e se alojar dentro do seu peito, fazendo você se apaixonar e, principalmente, mergulhar de cabeça nesse lago profundo, cheio de insanidade e segredos que te envolvem a cada vez mais!

Até a próxima postagem! Beijos!

[RESENHA] Efeito Dominó (Parte I) - Alana Gabriela

Hey, pessoas!

A resenha de hoje é de um thriller nacional que é capaz de nos fazer grudar os olhos nas páginas! Conheçam Efeito Dominó, da autora e parceira do blog Alana Gabriela!

Efeito Dominó - Parte I

TÍTULO: Efeito Dominó (Parte I) - As Primeiras Peças do Jogo
AUTOR: Alana Gabriela
EDITORA: Amazon
NÚMERO DE PÁGINAS: 281 páginas
SINOPSE: Helena foi morta num passeio à Saquarema. Seis meses após o assassinato e ainda não existem provas suficientes para lastrear o caso. Cora está desestabilizada com a perda da mãe e a impotência que tem sentido em decorrência disso. Ela está passando por todas as etapas do luto, afastando-se de suas amigas e até do seu pai, Afonso. Sua vida caótica e com uma bandeira hasteada de luto vira do avesso quando presencia uma tentativa de homicídio que põe a vida de Lucas, seu amigo, em perigo. No processo Cora é feita refém por um criminoso enigmático que está disposto a tudo para trazer à luz todos os segredos que rodeiam a morte de Helena. Ela só precisa decidir entrar no jogo. Entre mentiras, assassinatos e segredos funestos, o obscuro é o lado mais seguro para Cora se aliar. Mas ela precisa decidir qual segredo é digno do silêncio e se estará pronta para desencadear o efeito dominó! 

    

Cora é uma garota amargurada e cheia de ressentimento pela morte trágica de sua mãe, cujas pistas até o presente momento foram insuficientes para qualquer inquérito policial ter prosseguimento. Tudo que a menina sabe é que Helena foi vítima de uma bala perdida, e desde então ela está em processo de luto, privando-se da convivência de seus amigos e até mesmo de seu pai. Depois de um suposto assalto que pôs em risco a vida de Lucas, seu melhor amigo e confidente, e no qual Cora acabou vítima de um sequestro, vários elementos novos e descobertas macabras vêm à tona, colocando à prova todas as certezas que a menina acreditava possuir.

Quando Alana me fez o convite para a parceria com o blog e mostrou-me a sinopse do seu primeiro livro eu tive a certeza de que aquela menina tinha talento e que esse enredo daria uma bela história. E eu não poderia estar mais certa!

Efeito Dominó nos apresenta a um mundo de intrigas, segredos e mistérios indecifráveis, que de um jeito ou outro influenciam na vida de todos os personagens. Esse aspecto realista e tão palpável do enredo me fez envolver-me ainda mais com o livro, encontrando nele semelhanças irrevogáveis com situações do nosso próprio cotidiano. Aliás, essa foi uma das sacadas mais geniais da autora no meu ponto de vista: construir uma história complexa baseada em elementos possíveis de existirem realmente.

O cenário montado é bastante intrincado e completo, toda a ambientação detalhada, não só na descrição do espaço físico, mas também dos próprios acontecimentos que envolvem a trama, tudo isso contribui para prender o leitor do início ao fim do livro, característica fundamental dentro do gênero no qual a autora pretende encaixar-se. O modo como Alana nos brinda com uma linguagem ao mesmo tempo formal, rebuscada e bastante compreensível aproxima muito a autora de gênios dentro desse gênero, como Aghata Christie, por exemplo.

Cora é uma protagonista daquelas que dá uma certa apreensão acompanhar, mas juntamente a essa sensação vem a ânsia e a torcida para que ela se saia bem em sua jornada. A personalidade da protagonista é muito bem definida desde o início, e a perda da mãe influencia de maneira significativa nessa construção, o que só torna Cora ainda mais real e humana. Por trás de todo aquele comportamento rebelde e temperamento explosivo, existe uma garota que só quer encontrar a si mesma, ao seu próprio lugar no mundo turbulento que virou sua vida depois da morte de Helena. A garota, podemos dizer, tem duas faces bastante distintas: uma é esta que ela tenta mostrar a todos, e outra é aquela determinada e corajosa que só conhece aqueles que realmente convivem com ela. É esse outro lado que acompanhamos durante a investigação incitada pelo suposto sequestrador de Cora, e é por conta desse amadurecimento que me vi torcendo tanto por ela.

Afonso é um enigma muito bem montado durante praticamente o livro todo. O homem é misterioso, enigmático, e muito inteligente, ao mesmo tempo que se mostra um pai preocupado e protetor. É difícil acompanhar todas essas mudanças bruscas de personalidade, mas acredito que isso faça parte de quem ele é. Ele foi um personagem que me despertou sensações bastante contraditórias no decorrer da narrativa: algumas de suas atitudes eram egoístas e precipitadas, e eu o odiava por pensar mais em si mesmo do que nas consequências de seus atos, mas em outros momentos ele se mostrava o pai exemplar que deveria ser, e então meu coração se confrangia novamente por ele ser coagido a fazer tanta coisa ruim em prol de ideais que ele nem mesmo defendia mais.

Benjamin é um dos meus amores literários mais fortes, desde o início do livro. Vou confessar aqui e agora que sempre tive uma queda por bad boys, mas Benjamin não se configura exatamente como um vilão pra mim. Na verdade, eu acho que ele se encaixaria mais na figura do justiceiro. Ele defende a verdade acima de tudo, apesar de utilizar alguns meios um tanto quanto polêmicos para isso. Mesmo assim eu ainda acredito mais na essência dele do que na de Afonso. Ben sabe o que quer, sabe como chegar lá, e não tem medo de estar do lado errado ou perigoso do jogo, ele simplesmente quer jogar com as cartas limpas, quer os fatos verídicos na mesa, e eu respeito isso. Além de ser um charme todo aqueles trejeitos de bandido falso que ele possui.

Como boa fã de thrillers, algo que eu considero muito é a formulação que o autor faz com os elementos dos quais dispõe. E, particularmente, Alana soube jogar muito bem com o que tinha. Ela construiu uma trama complexa, cheia de ligações, cujos personagens nunca eram o que pareciam ser. O que mais me chamou a atenção foi a forma como os coadjuvantes interferiam diretamente não só no enredo em si, mas também nas atitudes dos protagonistas, o que acabava resultando em verdadeiros novos rumos dentro da história. Nada dentro da narrativa pode passar despercebido, tudo têm a sua devida importância, e a autora soube como nos prender intercalando descobertas hilariantes e ação na medida certa.

O que eu posso dizer da diagramação é que ela é bastante simples, dando total destaque ao conteúdo do livro, o que eu acho sempre um fator extremamente válido, visto que valoriza o trabalho do autor, que é o que realmente importa. Os únicos elementos que ilustravam algumas trocas de cenas eram peças de dominó em miniatura, algo que eu achei que combinou perfeitamente com a trama encontrada dentro do livro. A capa, apesar de não muito detalhada, é bastante coerente, e ao final é isso que importa.

Ao final da resenha posso dizer que estou completamente satisfeita com a leitura. Tinha altas expectativas para esse livro, e ele conseguiu me surpreender ainda mais do que eu esperava. Foi uma brilhante estreia da autora, e uma obra fascinante, que me deu ainda mais vontade de ler os próximos volumes pra ontem. A história desenvolvida por Alana não só entretêm como também instiga a buscarmos a nossa própria verdade, dentro do nosso próprio mundo turbulento e caótico.

Até a próxima postagem! Beijos!

[RESENHA BOOK TOUR] O Nome do Sonho - M. Deméter

Hey, pessoas!

A primeira resenha do ano de 2016 é especial demais, e não poderia ser diferente. Conheçam um pouco do mundo de O Nome do Sonho, da autora nacional M. Deméter, e se apaixonem vocês também!

O Nome do Sonho

TÍTULO: O Nome do Sonho
AUTOR: M. Deméter
EDITORA: Garcia
NÚMERO DE PÁGINAS: 312 páginas
SINOPSE: O que você faria se descobrisse que toda a sua realidade não passa de uma fantasia e tudo se baseasse na existência de uma única pessoa?Pode parecer ilusão, mas essa é a realidade de O Nome do Sonho. Anne já se acostumou com ela, mas Vivian não a aceita com tanta facilidade. Em um mundo onde todos os sonhos são possíveis, talvez o amor possa transformar os conceitos de realidade e ficção, mas nunca sem sacrifícios.


A vida pode ser como nos sonhos, basta acreditar.

    

Vivian é uma jovem sofrida e amargurada, que desde muito cedo viu-se tendo que se virar sozinha, devido ao abandono de seus pais e sua vida passada em orfanatos. Adulta, sonha em se tornar escritora, mas as mágoas do passado impedem sua força de vontade. Anne é uma garotinha doce e sonhadora, que encontrou uma forma de permanecer próxima ao seu ente mais querido mesmo depois que a morte o levou. Os destinos de ambas as garotas se cruzam num momento especial na vida de Vivian: na descoberta de um mundo completamente novo, onde ela irá encontrar não só as respostas que procura, mas também sua própria essência e seu grande e verdadeiro amor.

Recebi esse livro e tive a oportunidade de lê-lo graças ao Book Tour realizado e idealizado pela autora, e posso dizer que foi uma experiência incrivelmente mágica do início ao fim. O que mais me fascinou desde o primeiro momento em que tive contato com a sinopse do livro foi a sua premissa principal: o mundo onírico. Não existem muitas obras de ficção que abordem o assunto em suas tramas e como sou completa admiradora desse universo tão esplêndido, foi encantador para mim descobrir essa narrativa.

Aliás, encantador é uma palavra que define muito bem o enredo deste livro. Passando por uma história de dor e sofrimento, ao mesmo tempo em que nos apresenta a superação e a coragem necessária para encarar nossos temores e viver plenamente nossos desejos, a história criada por M. Deméter é uma verdadeira lição de amor e fé. Fé não só no poder dos nossos próprios sonhos, mas também em nós mesmos e na nossa capacidade de alcançarmos nossos objetivos.

Vivian é uma protagonista extremamente bem estruturada, em toda a sua totalidade. Dá para perceber o esforço que a autora fez para construir uma personagem complexa e inteira, com personalidade e vontades próprias, bem como temperamento e decepções. Desde o início do livro ela se mostra machucada, ferida, por conta de toda a trajetória de sua vida, que a impede de se entregar realmente aos seus maiores e mais profundos projetos. É interessante acompanhar toda a mudança de perspectiva pela qual ela passa no decorrer do livro, bem como o amadurecimento através do qual ela se torna dona de si mesma e de seus sonhos. Uma das coisas mais fantásticas que a Vivian nos ensina é que as pessoas são, sim, capazes de evoluir e se transformar para melhor.

Anne é uma graça à parte. Preenche a narrativa com sua doçura, alegria e paixão pela vida, e a força que emana dela mesmo sendo ainda tão pequena é inspiradora para qualquer um que a conheça. Valente e determinada, a garotinha sempre encontra uma forma de conquistar o que deseja, e isso é o que mais aprendi a admirar nela. Além, é claro, da capacidade de crer no impossível que ela possui, algo que só a inocência de uma criança conseguiria nos ensinar.

Antony é o avô de Anne e a pessoa que mais a compreende e protege no mundo inteiro. É importante ressaltar que ele vive no mundo dos sonhos após sua morte, através das vontades da menina, que o fez existir nesse universo. Sábio, experiente e muito compreensivo, o senhor é um exemplo de perspicácia e amor ao próximo. Tudo que ele faz, mesmo não estando mais entre os vivos, é pensando nos seus entes queridos que ainda continuam nesta dimensão.

Felipe é o grande amor e ao mesmo tempo idealização de Vivian. É o homem dos sonhos: carinhoso, compreensivo, bom ouvinte, protetor e muito carismático, o garoto não precisa de palavras para entender as necessidades e os maiores medos de sua amada, e faz o que lhe é possível para auxiliá-la em tudo isso. Sempre presente, Felipe é incrivelmente astuto, inteligente e perspicaz, o que facilita na hora de compreender sua própria situação e os mistérios que rodeiam sua existência. O casal tem uma conexão entre si que impressiona até mesmo o leitor mais desacreditado no amor, e é impossível não ficar comovido com a relação que os dois constroem. Posso dizer que foi um dos aspectos que eu mais gostei no livro.

O universo construído pela autora é rico, encantador e cheio de magia, é algo único, diferente de tudo aquilo com o qual o leitor está acostumado. Foi o elemento que fez com que eu me envolvesse e realmente me entregasse à leitura, principalmente por todos os segredos e beleza que o mundo dos sonhos encerra em si. É indispensável que vocês compreendam que o mundo deste livro é divido em duas dimensões, a dos sonhos e a da realidade, e ambas estão intrinsecamente conectadas e dependentes uma da outra, o que foi uma sacada genial da autora. É impressionante acompanhar como ela desenvolve e liga ambos os universos, tão diferentes entre si.

A narração é feita através de uma mudança de perspectiva constante, que altera-se entre a vida e os sonhos de Vivian, os dias e as visitas de Anne ao mundo dos sonhos, e os encontros entre Felipe e Vivian, bem como o modo de viver de Antony e Felipe dentro do universo onírico. Este formato é importante, principalmente porque nos dá uma visão ampla de todas as facetas e aspectos presentes no livro. Algo que achei muito interessante e que auxilia na hora de não confundirmos as perspectivas de cada capítulo é que o próprio título já nos deixa clara qual a personagem e qual das duas dimensões encontraremos naquele excerto! O modo como a autora introduz novas informações e descobertas em sua trama é bastante eficiente e discreta, nos dando a impressão de que tudo nos é dado e revelado aos poucos, em pequenas porções, algo que nos ajuda para compreender a história como um todo.

A diagramação cuidadosa da editora Garcia foi extremamente detalhada e preocupou-se com o livro como um todo, desde a revisão até a arte de capa, que está extremamente linda e coerente com o que teremos nas páginas a seguir. Não encontrei erros ortográficos, o que me deixa extremamente empolgada.

Ao final dessa resenha posso dizer que me sinto extremamente grata a Mara por me proporcionar essa experiência literária incrível e tão real. A história em si me fascinou, encantou e envolveu, bem como seu enredo e personagens, mas o que mais me conquistou de vez no livro foi a lição que ele carrega: o poder de acreditarmos em nossos sonhos. Isso é algo que vou guardar dentro de mim, e que de uma forma ou outra sempre virá à tona em vários momentos da minha vida, dando força e coragem para correr atrás dos meus desejos e objetivos. O livro está mais do que recomendado, como eu não preciso nem dizer!

Até a próxima postagem! Beijos!

[PROMOÇÃO] Aniversário do Blog Tons de Leitura

Hey, pessoas!


O blog Tons de Leitura está completando seu primeiro aninho, e é claro que o Livros Viajantes entrou na festa, cujos presentes são todos seus! Vem cá participar você também!









Boa sorte a todos! Beijos!

[PRIMEIRAS IMPRESSÕES] Fantasya - Tiago Anderson

Hey, pessoas!

As primeiras impressões continuam, e hoje saberemos quais foram as minhas expectativas sobre mais uma fantasia nacional lançada pela editora Arwen. De autoria de Tiago Anderson, conheçam Fantasya!

Fantasya
TÍTULO: Fantasya
AUTOR: Tiago Anderson
EDITORA: Arwen
SINOPSE: Em uma terra distante chamada Athar, dois amigos, Charlie e Léo, garotos comuns que viviam na calmaria de uma cidade interiorana, descobrem um fantástico mundo jamais imaginado. Além de belas paisagens e criaturas místicas, o lugar é repleto de tesouros. Porém, um perigo iminente previsto por uma antiga profecia coloca toda essa magia em risco, pois Stella, um elfo maligno dominado pelas sombras, dá indício de seu retorno após mais de dois séculos desaparecido. Seu objetivo é claro: dominar toda Athar e espalhar as trevas para construir seu reino. Fantasya mostra ao leitor como a união e a amizade podem ser grandes aliadas na guerra da luz contra as sombras, e que ainda há esperança para aqueles que creem na vida infinita.


Aqui conhecemos Charlie e Léo, dois amigos que, após uma perda em comum, veem seus laços se fortalecerem e suas vidas mudarem de um modo irreversível. Os jovens nem podem imaginar, mas a partir da descoberta de um novo mundo, muitas aventuras e surpresas os esperam, juntamente com diversos perigos e profecias macabras que eles precisarão enfrentar.

Este livro é um fantasia clássica desde a primeira linha. Cheio de criaturas mágicas, lugares distantes e encantados e personagens fascinantes a seu modo, Fantasya tem todos os elementos para conquistar os leitores desse gênero literário. É verdade que nesta prévia não conhecemos muito da história em si, mas acredito que o elemento surpresa esteja intrínseco desde o início, criando uma certa expectativa no leitor, fazendo-o entrar no universo e imaginar o que o espera à frente.

Por falar em universo, é perceptível o esmero do autor na construção de seu cenário e ambiente. Tudo extremamente detalhado, quase palpável, cheio de descrições que nos aproximam o máximo possível da imagem que Tiago tinha em mente quando escreveu. Isso, ao contrário de nos deixar cansados ou desanimados, ajuda ainda mais a entrar na trama e se envolver com o livro.

Os personagens, por serem jovens, acabam amadurecendo com muitos dos acontecimentos do livro, já no início temos um ocorrido decisivo para essa evolução de ambos os protagonistas. É gratificante acompanhar essas etapas e tudo que elas ensinam a eles, e eu imagino que ainda há muito pela frente, lições que o próprio leitor poderá usar em sua vida.

O grande mistério descrito na sinopse não aparece nessa degustação, o que me fez ficar curiosa e ao mesmo tempo ansiosa por desvendar esse segredo profético que a história promete. Sempre acabo mergulhando em um bom enredo, e fiquei com a impressão de que este tem tudo para ser incrível!

Não vejo a hora de continuar a leitura e poder conhecer todas as surpresas que esse universo nos reserva, todas as suas criaturas e magia fascinante. Com certeza essas primeiras impressões não poderiam ter sido melhores!

E vocês, ficaram também curiosos com o livro? Me contem tudo!

Até a próxima postagem! Beijos!

[PRIMEIRAS IMPRESSÕES] O Enigma de Shalkas - André C. S. Santos

Hey, pessoas!

As primeiras impressões de hoje são de mais um nacional, publicado pela editora Arwen, que tem tudo para agradar quem curte fantasia. Vamos embarcar comigo no mundo de O Enigma de Shalkas, escrito por André C. S. Santos!

O Enigma de Shalkas

TÍTULO: O Enigma de Shalkas
AUTOR: André C. S. Santos
EDITORA: Arwen
SINOPSE: Noah, cuidado por seu misterioso avô, o importuna por anos para que ele conte algo sobre seu pai, Wood, que desapareceu e nunca teve a oportunidade de conhecê-lo. Pela insistência do jovem, o velho decide falar toda a verdade obscura que fez seu pai ser obrigado a fugir e abandoná-lo. Mas, o que ele não sabe, é que por trás de toda a história seu avô escondeu algo que fez ao pai de Noah e que nunca será perdoado, podendo acabar com as esperanças do jovem de um dia reencontrá-lo. A vida de Wood estava predestinada desde seu nascimento, mas seu passado e os motivos de sua vinda ao mundo, se tornou tão obscuras e repletas de mentiras, que agora busca a verdade sobre todo seu passado. Só então descobre um segredo capaz de mudar a vida de mais de 4 bilhões de pessoas, que o obrigou a desaparecer do mapa. Sua verdadeira história agora será revelada.

Que eu adoro fantasia não é segredo pra ninguém, e quando essa história vem recheada de enigmas e segredos a serem revelados, o livro se torna irresistível! Foi isso que eu senti nessas primeiras páginas de O Enigma de Shalkas: o quanto se torna difícil desligar-se desse enredo depois de adentrar nele!

Nestas primeiras linhas conhecemos Noah, um garoto criado por seu avô desde muito cedo, após a morte de sua mãe e a fuga desesperada de seu pai depois de diversos acontecimentos. São esses acontecimentos que Noah desconhece, e que insiste tanto para seu avô lhe revelar. O único problema é que fazendo isso o velho tiraria todas as esperanças do garoto de rever o pai algum dia. Como sempre ocorre, independente das consequências, existe um ponto da caminhada em que a verdade precisa ser revelada, e é exatamente essa versão dos fatos que conheceremos neste livro, ou pelo menos essa foi a impressão que tive da história.

O Enigma de Shalkas é um livro que reúne um mundo totalmente paralelo ao nosso, juntamente a vários segredos obscuros do passado que podem influenciar diretamente no futuro. Esses elementos por si só já construiriam um ótimo enredo, mas a narração do autora colabora muito para que isso aconteça. O modo fluido de contar a história, e principalmente a maneira discreta de dosar as descobertas importantes dentro da trama são um ponto culminante para o envolvimento total do leitor com a obra.

A descrição está muito presente neste livro, e, apesar de para alguns isso ser sinônimo de monotonia, é ela quem nos ajuda a mergulhar ainda mais no cenário e ambiente em que tu ocorre, auxiliando nossa imaginação e nos transportando para aquele lugar mágico e cheio de encantos criado pelo autor.

Um dos elementos que eu considero fundamentais em qualquer fantasia é aquele que extrapola a nossa realidade. Neste livro em particular ele é personificado em formatos de lendas e criaturas completamente extraordinárias e surreais. Isso é o mais incrível desse mundo fantástico para mim: a forma como, mesmo sabendo que nada daquilo pode ser real algum dia, conseguimos senti-los tão vivos. Em O Enigma de Shalkas isso está sempre ali, esperando para nos surpreender, e a maior jogada do autor nesse enredo é justamente o fato de trabalhar com a possível veracidade das histórias tão populares entre os povos.

Os lugares fictícios merecem destaque aqui. O autor conseguiu construir um mundo completamente novo, do qual eu tive apenas um pequeno vislumbre nessas primeiras páginas. Mas já posso dizer com firmeza e sem medo de errar que isso foi feito da forma mais sólida possível. Todos os detalhes estão ali, e a forma como os locais serão ligados através do decorrer da história é algo que me faz sentir imensa curiosidade.

Os personagens também são uma arte à parte. Apesar de não conseguir defini-los exatamente a partir deste começo de livro, pelo pouco aprofundamento que tive até então, já é perceptível a força da personalidade de cada um dentro do enredo, e sua função na história que se seguirá. Me senti imediatamente ligada a Noah, e construí uma empatia enorme por ele mesmo nestas poucas linhas. Wood é um mistério a ser desvendado para mim, e isso é o que mais me chama atenção. A impressão que tenho é de que ainda vou me surpreender muito com esse senhor!

A arte de capa é excepcional. Como não conheço todo o enredo do livro não posso dizer se ela se encaixa nele, mas é a ilustração perfeita para um livro de fantasia, com certeza, com todos os detalhes e elementos necessários para atrair este tipo de público. A editora fez um ótimo trabalho, como sempre!

Para finalizar essas primeiras impressões digo que sim, estou curiosíssima com o prosseguimento da história, principalmente pela forma abrupta com que ela foi interrompida, justamente quando a verdade iria começar a aparecer e a ação a se desenrolar! Quero muito conhecer o restante da trama, e tenho certeza que ela me encantará tanto quanto este início!

Até a próxima, pessoal! Beijos!

[PROMOÇÃO] Aniversário do Blog Império Imaginário



Hey, pessoas!

O Livros Viajantes juntou-se a outros blogs amigos para comemorar o aniversário do primeiro ano do blog Império Imaginário. Vem com a gente e aproveite para ganhar muito presente você também!


Regras
Atenção: Leia todas as regras atenciosamente e evite ser desclassificado. O não cumprimento dessas regras levará à eliminação sem aviso prévio.

1. As inscrições irão até o dia 28 de fevereiro. O resultado será anunciado nesta mesma publicação em até 14 dias após o encerramento do sorteio.

2. Os participantes devem possuir endereço em território brasileiro.

3. As entradas obrigatórias são necessárias para validar a participação do internauta. Depois que estas forem cumpridas, as entradas opcionais aparecerão. Suas chances de ganhar aumentam na medida que você cumpre as entradas opcionais.

4. Nas entradas onde diz "Visit ... on Facebook" é obrigatório curtir a página correspondente.

5. Perfis falsos ou criados exclusivamente para a participação de promoções ocasionarão desclassificação.

6. Cada kit terá apenas um vencedor e cada participante não será sorteado em mais de um kit.

7. Os vencedores serão contatados pelo e-mail deixado no formulário e terão 48 horas para respondê-lo com os dados completos para a entrega. Do contrário, será desclassificado e um novo sorteio será feito no kit correspondente.

8. Os blogs têm até 30 dias úteis para envio dos prêmios e isto significa que cada prêmio poderá chegar em diferentes datas.

9. Os blogs não se responsabilizam por danos ou extravios provocados pelos Correios, bem como pelo custo de reenvio em caso de endereço incorreto.

10. O prazo para qualquer reclamação por parte dos sorteados em relação ao não recebimento de algum prêmio irá do dia 30 de março até o dia 08 de abril.


Em caso de dúvidas ou problemas referentes ao sorteio, deixe um comentário nesta publicação ou mande um e-mail para imperioimaginario@hotmail.com

Formulários


a Rafflecopter giveaway





a Rafflecopter giveaway





a Rafflecopter giveaway





a Rafflecopter giveaway





a Rafflecopter giveaway

Boa sorte a todos!

[TOP 5 ESPECIAL] Expectativas Literárias para 2016

Hey, pessoas!

O nosso especial de início de ano continua, e hoje o Top 5 vai mostrar a vocês minhas maiores expectativas literárias de 2016. Bora conhecer?

1. Prince Of Thorns, Mark Lawrence

Prince of Thorns

Sinopse: Tem início a Trilogia dos Espinhos: Ainda criança, o príncipe Honório Jorg Ancrath testemunhou o brutal assassinato da Rainha mãe e de o seu irmão caçula, William. Jorg não conseguiu defender sua família, nem tampouco fugir do horror. Jogado à sorte num arbusto de roseira-brava, ele permaneceu imobilizado pelos espinhos que rasgavam profundamente sua pele, e sua alma. O príncipe dos espinhos se vê, então, obrigado a amadurecer para saciar o seu desejo de vingança e poder. Vagando pelas estradas do Império Destruído, Jorg Ancrath lidera uma irmandade de assassinos, e sua única intenção é vencer o jogo. O jogo que os espinhos lhe ensinaram. 

Faz algum tempo que eu estou desejando esse livro, na realidade a trilogia toda, não só por essa edição maravilhosa que a Darkside fez, mas também por conta de todo o enredo e críticas positivas que andei lendo ao longo deste ano. O gênero Dark Fantasy não é um com o qual eu tenho tanta intimidade, mas tenho absoluta certeza de que essa história vai me conquistar por inteiro!

2. Sobre Meninos e Lobos, Dennis Lehane

Sobre Meninos e Lobos

Sinopse: Um carro encosta perto de três meninos que brigam numa rua da violenta periferia de Boston. Aturdidos com a inesperada abordagem, Sean e Jimmy veem o amigo Dave ser levado por dois homens que, ao que tudo indica, pertencem à polícia. Mas eles logo percebem que há algo de errado: uma simples disputa entre três garotos de onze anos não justificaria tal intervenção. Vinte e cinco anos mais tarde, os três companheiros se reencontram numa encruzilhada armada por um trágico destino. Espelhados nas águas turvas do rio Mystic, Sean, Jimmy e Dave tentarão se livrar definitivamente de um passado que por tanto tempo ficou encoberto. Em Sobre meninos e lobos, Lehane retoma a tese de que as consequências das más ações ressoam através do tempo e do espaço, afetando a vida de pessoas inocentes. Dor e violência arrastam o leitor com assustadora intensidade por essa trama em que as perspectivas de vida não ultrapassam os sufocantes limites de uma região historicamente marcada pelo crime.

Assisti à adaptação literária que foi feita deste livro antes mesmo de saber que se baseava em uma obra literária. Me encantei completamente com a complexidade e perspectiva realista e dramática que a história carrega, e agora que descobri o livro com certeza estou empolgada com a leitura!

3. Laranja Mecânica, Anthony Burgess

Laranja Mecânica

Sinopse: Narrada pelo protagonista, o adolescente Alex, esta brilhante e perturbadora história cria uma sociedade futurista em que a violência atinge proporções gigantescas e provoca uma reposta igualmente agressiva de um governo totalitário. A estranha linguagem utilizada por Alex - soberbamente engendrada pelo autor - empresta uma dimensão quase lírica ao texto. Ao lado de "1984", de George Orwell, e "Admirável Mundo Novo", de Aldous Huxley, "Laranja Mecânica" é um dos ícones literários da alienação pós-industrial que caracterizou o século XX. Adaptado com maestria para o cinema em 1972 por Stanley Kubrick, é uma obra marcante: depois da sua leitura, você jamais será o mesmo.

Antes de qualquer coisa, preciso dizer que já havia lido esse livro, e também já assisti à adaptação cinematográfica do mesmo. Porém, eu era ainda adolescente, e boa parte da história acabou se tornando muito complexa para a minha maturidade naquela época. Por conta disso, estou animada para reler a narrativa e conseguir acompanhar não só a genialidade de raciocínio do enredo, mas também aproveitar tudo de bom que a trama tem para nos mostrar.

4. O Iluminado, Stephen King

O Iluminado

Sinopse: Danny Torrance não é um menino comum. É capaz de ouvir pensamentos e transportar-se no tempo. Danny é iluminado. Será uma maldição ou uma bênção? A resposta pode estar guardada na imponência assustadora do hotel Overlook. Em O iluminado, quando Jack Torrance consegue o emprego de zelador no velho hotel, todos os problemas da família parecem estar solucionados. Não mais o desemprego e as noites de bebedeiras. Não mais o sofrimento da esposa, Wendy. Tranquilidade e ar puro para o pequeno Danny livrar-se das convulsões que assustam a família. Só que o Overlook não é um hotel comum. O tempo esqueceu-se de enterrar velhos ódios e de cicatrizar antigas feridas, e espíritos malignos ainda residem nos corredores. O hotel é uma chaga aberta de ressentimento e desejo de vingança. É uma sentença de morte. E somente os poderes de Danny podem fazer frente à disseminação do mal.

Já tenho em casa os dois livros dessa duologia, O Iluminado e Doutor Sono, e pretendo ler os dois nesse ano que se iniciou. Este primeiro volume já foi também adaptado ao cinema, mas muitas críticas negativas me levaram a desconfiar do enredo conhecido do longa, e por adorar o autor decidi que prestigiar a obra original seria a melhor opção. King sempre me surpreende, e eu sei que vou me encantar novamente pelos personagens complexos e bem construídos que o autor consegue nos apresentar.

5. Psicose, Robert Bloch

Psicose

Sinopse: Psicose, o clássico de Robert Bloch, foi publicado originalmente em 1959, livremente inspirado no caso do assassino de Wisconsin, Ed Gein. O protagonista Norman Bates, assim como Gein, era um assassino solitário que vivia em uma localidade rural isolada, teve uma mãe dominadora, construiu um santuário para ela em um quarto e se vestia com roupas femininas. O livro teve dois lançamentos no Brasil, em 1959 e 1964. São, portanto, quase 50 anos sem uma edição no país, sem que a maioria das novas gerações pudesse ler a obra original que Hitchcock adaptou para o cinema em 1960. A DarkSide orgulhosamente tem o prazer de reparar este lapso, em julho de 2013, com o lançamento de Psicose em versões brochura (classic edition) e capa dura, limited edition que incluirá um caderno especial com imagens do clássico de Hitchcock. Uma história curiosa envolvendo o livro é que Alfred Hitchcock adquiriu anonimamente os direitos de Psycho e depois comprou todas as cópias do livro disponíveis no mercado para que ninguém o lesse e, consequentemente, ele conseguisse manter a surpresa do final da obra. Em Psicose, Bloch antecipou e prenunciou a explosão do fenômeno serial killer do final dos anos 1980 e começo dos 1990. O livro, junto com o filme de Hitchcock, tornou-se um ícone do horror, inspirando um número sem fim de imitações inferiores, assim como a criação de Bloch, o esquizofrênico violento e travestido Bates, tornou-se um arquétipo do horror incorporado a cultura pop.

Mais um roteiro de filme adaptado de uma obra-prima do horror. Psicose se tornou um ícone dos cinemas, com várias cenas lembradas até hoje pela memória de todos os espectadores, mas há algum tempo nenhuma edição do livro era lançada no nosso país. A Darkside mudou esse destino, e desde o lançamento do livro estou ansiosa por ler esse título. Tenho certeza que vou amar, tanto quanto amei o filme!

Deu para perceber que o gênero terror/horror/suspense dominou as minhas expectativas este ano, certo? Não tinha como ser diferente, eu sou simplesmente apaixonada por essas obras de ficção. Prometo que ao fim do ano venho contar a vocês todas as minhas impressões sobre as leituras realizadas, que eu espero serem os cincos livros!

Até a próxima postagem! Beijos!




[TOP 5 ESPECIAL] Melhores Leituras de 2015

Hey, pessoas!

Espero que todos vocês estejam aproveitando essas festas de fim de ano tanto quanto eu. Inclusive por esse motivo é que o blog anda um tanto desatualizado ultimamente, mas pretendo compensar tudo isso durante os próximos meses. E para continuar em clima de início de ano também aqui no blog, hoje trago para vocês o meu Top 5 especial das melhores leituras de 2015!

1. A Escolhida, Amanda Ághata Costa

A Escolhida
Sinopse: Em uma cidade repleta de pessoas desconhecidas, Ari poderia ser apenas mais uma garota perdida na multidão, como tantas outras que foram abandonadas pelos pais. Através de sua aparência impecável e feições delicadas, ninguém conseguiria supor quem ela é e o que gosta de fazer: um anjo com sede de sangue, sempre disposta a ceifar novas vítimas. Porém, tudo muda quando é capturada por dois feiticeiros e levada para o círculo, lugar onde eles vivem sob a liderança de Egran, um homem cruel que não mede esforços para conseguir o que quer. Em meio a várias mudanças repentinas, terá de enfrentar suas convicções a fim de descobrir um lado de si mesma que não imaginava existir. Será que o amor vai fazer brotar a alegria em seu coração? Ou ele irá arrastá-la diretamente para a morte? Ari será capaz de finalmente superar o próprio passado sombrio ou sucumbirá a ele, deixando pelo caminho mais um grande rastro de destruição?

O livro A Escolhida foi uma das maiores surpresas literárias que eu poderia ter tido neste ano que passou. Assim que li a sinopse sabia que ia adorar a história, que faz bem o gênero fantástico que eu tanto curto, mas não imaginava que me apegaria aos personagens e ao próprio enredo da maneira como aconteceu. O título foi marcante de várias maneiras, e eu acabei percebendo o tamanho dom para a escrita que a autora tem. Mais do que isso: eu percebi que esse seria para sempre um livro especial pra mim, não é à toa que ele fica na minha cabeceira até hoje!

2. Por Lugares Incríveis, Jennifer Niven

Por Lugares Incríveis
Sinopse: Dois jovens prestes a escolher a morte despertam um no outro a vontade de viver. Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família. Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.

Por Lugares Incríveis me emocionou, me fez refletir em vários momentos, me encantou com seus personagens cativantes, me fez chorar e sorrir, me fez amar e odiar alguns dos infortúnios que tumultuaram a nossa história, mas conseguiu, acima de tudo, se tornar marcante em todos os sentidos possíveis. Os temas aqui trabalhados, e a forma como a autora abordou esses assuntos, sensível e tão delicadamente que muitas vezes era preciso esforço para reconhecê-los nas entrelinhas da história, acabou por me envolver e prender como um todo, fazendo com que eu ficasse completamente entregue às emoções que o livro desperta em todo o leitor. Com certeza uma das melhores leituras do ano!

3. Uma Canção Para Libélula, Juliana Daglio

Uma Canção para a Libélula
Sinopse: Era uma comum primavera numa fazenda qualquer, mas um encontro inusitado aconteceu: a Menina e a Libélula se viram pela primeira vez. Assombrada por um medo irracional da Morte, a Menina é marcada por esse encontro para o resto de sua vida. Compõe então uma canção em seu piano, homenageando a misteriosa libélula. Os anos se passaram, Vanessa vivia em Londres e tinha a vida cercada por seu iminente sucesso como pianista, porém, algo aconteceu, mudando seu destino: Uma doença, uma viagem e um reencontro. Vanessa precisará encarar fantasmas que sequer lembrava um dia terem assombrado sua vida, tendo de relembrar a morte do irmão e reviver seu conflito com a mãe. E mais importante e mortal, conhecer a grande antagonista de sua vida, a quem chama de Vilã Cinzenta. De Londres a São Paulo, dos Palcos aos Lagos. “Uma canção para a Libélula” é a história de uma alma perdida e de sua busca por quebrar o casulo de sua existência, para só então compreender o sentido da própria vida. Este livro é um profundo mergulho em uma mente nebulosa, permeada por lagos obscuros e pela inusitada morte; não havendo sequer esperanças.

Este foi um livro que não me surpreendeu nem um pouco, porque eu já sabia antes mesmo de começar a ler que eu ia amá-lo do início ao fim, e foi o que realmente aconteceu. A história da Vanessa me encantou, me fez mergulhar nos mais profundos sentimentos, e me fez refletir sobre diversas atitudes que tomamos em nossas vidas e os rumos que damos aos nossos sonhos. O livro da nossa parceira Juliana Daglio fez com que eu acreditasse mais no poder da fé e do amor.

4. A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert, Joël Dicker

A verdade sobre o caso Harry Quebert
Sinopse: Aos vinte e oito anos Marcus Goldman viu sua vida se transformar radicalmente. Seu primeiro livro tornou-se um best-seller, ele virou uma celebridade e assinou um contrato milionário para um novo romance. E então foi acometido pela doença dos escritores. A poucos meses do prazo para a entrega do novo original, pressionado por seu editora e por seu agente, Marcus não consegue escrever nem uma linha. Na tentativa de superar seu bloqueio criativo, Marcus decide passar uns dias com seu mentor, Harry Quebert, um dos escritores mais respeitados do país. É então que tudo muda. O corpo de uma jovem de quinze anos - desaparecida sem deixar rastros em 1975 - é encontrado enterrado no jardim de Harry, junto com o original do romance que o consagrou. Harry admite ter tido um caso com a garota e ter escrito o livro para ela, mas alega inocência no caso do assassinato. Com o intuito de ajudar Harry, Marcus começa uma investigação por contra própria. Uma teia de segredos emerge, mas a verdade só virá à tona depois de uma longa e complexa jornada. Um extraordinário livro de suspense, uma história de amor e um thriller excepcional, A Verdade Sobre O Caso Harry Quebert escapa a todas as tentativas de descrição. Nada do que você leu antes poderia prepará-lo para este livro.

Esse foi um livro que há muito eu desejava ler, e que superou completamente minhas expectativas, que já eram ótimas. Eu adoro esse gênero literário, mas a história que o Dicker conseguiu construir dentro desse título me ganhou totalmente, me deixou inteiramente envolvida e surpresa em muitos momentos. Os fatos interligados, a forma como tudo se relaciona dentro do livro, a narrativa fluida, os personagens muito bem construídos, a ambientação detalhadamente descrita, tudo isso acabou influenciando nas minhas impressões finais, que não poderiam ser melhores.

5. A Mais Pura Verdade, Dan Gemeinhart

A Mais Pura Verdade

Sinopse: Em todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha. Mas, em certo sentido um sentido muito importante , Mark não tem nada a ver com as outras crianças. Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram. Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier.Nem que seja a última coisa que ele faça. A Mais Pura Verdade é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável.

Um livro que me levou às lágrimas em muitos momentos, que me fez sorrir, me encantar e querer relê-lo milhões de vezes para ter as mesmas sensações. Este é A Mais Pura Verdade. Eu fiquei completamente fascinada e emocionada pela leitura, não só pelo protagonista ser uma criança, não só pela amizade que existe entre ele e seu cãozinho, ou sua melhor amiga, coisas extremamente lindas dentro do livro, mas pela sensibilidade com que o autor conseguiu descrever cada cena, cada atitude, cada sentimento, cada episódio e momento do livro. Uma narração simples, mas carregada de muitas sensações, as quais é impossível ficar imune.

Essas foram sem dúvida as minhas melhores leituras de 2015, mas eu poderia facilmente elencar vários outros títulos que me fizeram sentir prazer e ao mesmo tempo me fizerem compreender um pouco mais sobre o porquê de eu amar tanto o universo da literatura. Espero que tenham curtido meu Top 5, e que compartilhem comigo o de vocês.

Até a próxima postagem! Beijos!