[RESENHA] Línguas de Fogo - Karen Soarele

Hey, pessoas!

Nossa resenha de hoje é cheia de aventura e muitas surpresas! Há algum tempo, o blog conseguiu parceria com a autora Karen Soarele. Já resenhamos o spin-off A Rainha da Primavera por aqui (resenha) e agora trago a vocês o primeiro volume da série As Crônicas de Myríade: Línguas de Fogo!


TÍTULO: Línguas de Fogo (As Crônicas de Myríade #1)
AUTOR: Karen Soarele
EDITORA: Cubo Mágico
NÚMERO DE PÁGINAS: 216 páginas
SINOPSE: Aisling é uma jovem camponesa que vive numa área remota de Vulcannus, o reino mais poderoso de Myríade. Entretanto, um acontecimento vem para mudar completamente sua vida: seu melhor amigo, Dharon, é ferido em batalha enquanto tentava protegê-la, e a única chance que ela tem de salvá-lo é deixar para trás tudo o que conhece e atravessar a fronteira até o território inimigo, onde pode encontrar o antídoto para o veneno que o consome. Em sua jornada, Aisling se defrontará com diversos perigos, descobrirá que toda história possui mais de um ponto de vista e aprenderá que nas amizades verdadeiras está a força para seguir pelo caminho correto.




Pensei muito para escrever essa resenha, e ela está até um pouco atrasada por conta disso. Pensei porque precisava explicar como é entrar no mundo de Myríade e se apaixonar por seus personagens, e eu, até então, ainda estava tão imersa nesse universo que não me sentia capaz de dividir ele com mais ninguém. Mas agora resolvi que vocês merecem conhecer esse cenário magnífico e encantador, e por isso vim apresentar minhas impressões sobre esse título fantástico, que a Karen escreveu!

Aisling é uma adolescente feliz e despreocupada, que vive numa área interiorana do reino de Vulcannus, conhecido por ser o mais poderoso de Myríade. Lá, com sua avó, ela passa seus dias de maneira tranquila e contente, ao lado de seu melhor amigo Dharon, treinado desde muito menino para ser o guardião da aldeia. Conforme os dois crescem, essa amizade aumenta, e é numa fatídica noite, quando Dharon já havia assumido seu posto reservado, que a aldeia é atacada por uma salamandra, uma espécie de animal venenoso e praticamente invencível. Corajoso, Dharon não pensa duas vezes antes de defender sua aldeia do inimigo, e Aisling, que a essas alturas já havia sido acordada por sua avó abruptamente, acompanha a luta travada de perto. Quando a menina pensou que tudo estava acabado e o animal teria sido vencido, uma surpresa surge: de alguma forma, a salamandra continuava viva depois de todos os golpes desferidos por Dharon, e o pior é que, na tentativa de salvar sua amiga, o garoto havia sido atingido, e o veneno da salamandra já entranhava-se em seu corpo. Mortalmente ferido, Dharon só tem uma chance: uma cura que, segundo a avó de Aisling, só seria encontrada no reino inimigo de Hynneldor. É com essa esperança que a menina inicia sua viagem, em busca da salvação daquele que colocou sua vida em risco por ela. O que ela não esperava era todos os perigos e inimigos que arranjaria nesse caminho, e mais ainda: ela não esperava descobrir-se tão forte!

Existem tantos pontos positivos que eu gostaria de destacar nesse livro, que nem sei por onde começar. No momento em que firmei parceria com a Karen, e conheci o spin-off da série, Rainha da Primavera, eu já sabia que a próxima leitura que me aguardava seria satisfatória, mas não poderia imaginar a forma como eu me envolveria com o livro!

Aisling é uma protagonista extremamente intensa. Confesso que eu tenho um determinado tipo de preconceito com personagens adolescentes, porque minhas experiências com eles não foram das melhores, sempre me pareceram superficiais e um pouco vazios, mas Aisling é com certeza uma exceção à regra. Eu me apaixonei por ela logo no início da narrativa. Além da alegria contagiante, Aisling é leal, segura e decidida, madura demais para a faixa etária que tem. A garota é esforçada e luta até o fim para defender quem ama. A coragem é uma das características mais marcantes em sua personalidade, e ao longo da leitura acaba sendo impossível não torcer para que ela alcance seus objetivos. O mais impressionante na Aisling é que, apesar da maturidade difícil de se encontrar em qualquer personagem, apesar das dificuldades e perigos que enfrenta, ela não perde nunca aquele jeito marcante de ter fé na vida. De um jeito ou de outro ela sempre consegue ver o lado bom de tudo e ter esperança, e esse é um exemplo que eu vou levar pra mim, como um pedacinho dela.

Dharon é incrivelmente apaixonante. No que se refere a personalidade, ele é bastante parecido com Aisling: corajoso, destemido, capaz de ir até o fim para defender quem ele ama. O que mais diferencia Dharon de todos os outros personagens que eu conheço é a força de vontade incontrolável que ele tem. O destino dele estava decidido desde muito novo, quando seu treinamento começou, mas em nenhum momento eu vi Dharon fugindo de seus ideais e valores, nem ao menos deixando de lado suas tarefas e a confiança que todos depositam em sua força e valentia. Pelo contrário: em todos os momentos do livro Dharon sempre tentou ser o herói da história, sempre tentou cumprir com aquilo que ele se comprometeu a fazer, que é proteger o povo de sua aldeia, personificado em Aisling durante a trajetória dos dois.

Para mim, um dos elementos mais bonitos trabalhados pela Karen na narrativa foi a amizade forte existente entre os nossos dois protagonistas. Eu achei comovente o amor, carinho e atenção que eles dedicam um ao outro. É como se nenhum deles se importasse com os riscos para manter o outro em segurança. E o melhor de tudo isso é que todo esse sentimento é baseado em uma pureza enorme, sem qualquer segunda intenção. Os dois convivem desde muito cedo, e o laço que os une é calcado em confiança, dedicação, respeito e amor, um amor gigante, e praticamente palpável, percebido por qualquer leitor. A relação dos dois é com certeza um dos exemplos mais lindos de amizade que eu encontrei nessas minhas andanças literárias, é algo a se levar para a nossa própria vida.

O cenário do livro é deslumbrante! Karen cuidou de todos os detalhes, de cada característica do lugar que criou. Produziu um universo ao mesmo tempo mágico e encantado, onde tudo pode se tornar realidade. É fantástica a forma como somos tragados para dentro desse mundo e ficamos tão envolvidos com cada descrição da autora que é como se tudo ao nosso redor passasse literalmente a existir realmente. Me peguei em vários momentos tentando encontrar uma forma melhor de expressar para vocês o quanto a construção do universo é bem feita, mas só encontrei uma palavra ao final das minhas reflexões: maravilhosa! Tudo lá, desde a divisão dos reinos, até os costumes, hábitos e crenças dos personagens é muito bem fundamentado, é crível e é impossível duvidar da sociedade criada pela Karen. Não existem brechas ou pontas soltas. Os elementos fantásticos e todas as criaturas inseridas dentro do enredo tornam a história ainda mais rica, e fazem todo o sentido do mundo dentro daquele imaginário. Nada está ali por acaso, tudo tem uma razão de ser, e está interligado de maneira que, ao final da trama, todas as peças são encaixadas, as perguntas respondidas, e nós ficamos ansiando por mais aventuras!

A diagramação é simples e delicada, tudo para deixar claro que a trama é  mais importante dentro do livro. As páginas são brancas, a fonte é mediana e muito agradável à leitura. Todos os elementos gráficos colaboram para uma leitura fluida e rápida, com ritmo extremamente gostoso de acompanhar. A capa é toda detalhada, e se encaixa perfeitamente no enredo.

Ao final da resenha, só posso agradecer a Karen, pela confiança, por ter me deixado adentrar esse mundo de sonhos, por ter permitido que eu conhecesse esses personagens maravilhosos e sem precedentes, que eu vou levar sempre na memória e no coração. E a vocês, que ainda não conhecem a série, estão perdendo tempo! Línguas de Fogo irá, sem dúvidas, te marcar eternamente, e te levar para um lugar inesquecível, onde a magia e a imaginação reinam soberanas! Até a próxima postagem!

Beijos!

1 comentários:

  1. Oi, Patrini!
    Nossa a sua resenha foi incrível!!!!!!!!!!!!
    Desculpe vir comentar só agora. Desde que me mudei, andei bem atribulada. Mas queria que você soubesse que fiquei super feliz em saber que você gostou da história! Espero que também goste das que estão por vir! :)

    Beijos,
    Karen Soarele

    ResponderExcluir