[RESENHA] Verdade Ou Consequência - Matheus Frizon

Hey, pessoas!

A resenha de hoje acontece em parceria com o selo Métrica, da editora Tribo das Letras. Recebi duas cortesias, de dois gêneros diferentes, e agora apresento a vocês um romance leve e muito fácil de amar: Verdade ou Consequência, de Matheus Frizon, vai ganhar você!

Verdade ou Consequência?
TÍTULO: Verdade Ou Consequência?
AUTOR: Matheus Frizon
EDITORA: Métrica - Selo Pink
NÚMERO DE PÁGINAS: 365 páginas
COMPRAR
SINOPSE: Deixada aos cuidados da madrinha desde os sete anos, Alice Barrelin é uma estudante de Biomedicina cujo sonho é tornar-se uma atriz. Apesar da idade avançada, 19 anos, Alice nunca foi beijada. Na sua imaginação, seu beijo não seria suficientemente bom e também não passa pela cabeça dessa jovem acabar enfeitiçada pelos encantos de um cara qualquer. Entretanto, o mundo de Alice vira de cabeça para baixo quando ela conhece o irritante Alec Salles. Existe algo nesse rapaz que a incomoda: o jeito como ele mexe com ela e a deixa soltando suspiros. No entanto, fica claro que ela está perdidamente apaixonada por esse cara que a faz viver intensamente quando ambos são desafiados a um jogo de Verdade ou Consequência. Nesse ponto, não há mais como voltar atrás. O que Alice não sabia era que aquele rapaz escondia um grande segredo: Alec é um garoto de programa. Será que essa paixão estará ameaçada por essa descoberta? Alice encontrará forças para aceitá-lo? Tudo o que sabemos sobre esse casal é que são como fogo e gasolina, mas o desfecho dessa história de amor só o destino poderá dizer.


"Neste jogo não há vencedores. Conte com a verdade e faça suas apostas, ou sofra as consequências."



Alice é uma garota sofrida, que foi deixada aos cuidados da madrinha ainda muito nova, enquanto sua irmã gêmea foi embora com sua mãe, que a abandonou. Desde então ela se sente sozinha, mesmo não estando, e se pergunta dia após dia porque sua mãe preferiu sua irmã a ela. Já crescida, Alice, com a ajuda de seu melhor amigo Dereck, consegue disfarçar a maior parte dos sintomas físicos que essa dor lhe causa, entra para a faculdade de Biomedicina e leva uma vida normal, na medida do possível. Seu maior sonho sempre foi ser atriz, e é exatamente no dia em que ela está indo para um teste, imensamente confiante, que Alec Salles aparece em sua vida. Ou melhor, ele cai em sua vida feito uma fruta madura, atropelando-a com sua bicicleta e destruindo seu figurino para o teste. Alice fica irada, mas a partir de então ela não consegue esquecer a atração que sente por aquele garoto, e a beleza estonteante dele não ajuda em nada nessa tarefa. Depois de mais alguns encontros nada amistosos, os dois finalmente se rendem à paixão que explode dentro do peito de ambos e engatam um relacionamento digamos, complicado e enrolado. O amor que com o tempo aparece é enorme, Alice e Alec não conseguem mais imaginar sua vida sem estar ao lado um do outro. Mas o bonitão guarda um segredo capaz de exterminar qualquer chance desse romance dar certo: ele é um garoto de programa? E então, será que Alice será capaz de passar por cima de todos os julgamentos e dúvidas que surgirão com a descoberta para finalmente vivenciar o amor, até então restrito em sua vida?

Eu vou contar diretamente a vocês porque esse livro me interessou logo de cara, acima de tudo: porque era um romance escrito por um autor masculino. Quer motivo melhor para enfrentar uma leitura? É claro que a premissa ajudou, afinal, prostituição não é um assunto óbvio nem de longe para se inserir em um livro romântico. Mas eu simplesmente precisava saber como um garoto se sairia escrevendo esse gênero, porque, pelo menos pra mim, isso é bastante incomum. E eu vou confessar que o Matheus calou a minha boca, e me surpreendeu do início ao fim!

O enredo do livro é basicamente isso que está na sinopse, e ao mesmo tempo é muito mais que isso! Calma, eu explico: no decorrer da leitura vamos, sim, conhecendo os dramas de uma garota abandonada, que sonha em ser atriz, que tem uma vida amorosa não tão movimentada assim e que acaba se apaixonando por um cara que é o sonho de consumo de qualquer mulher deste planeta. Mas o Matheus, como o bom escritor que é, inclui vários elementos que não se encontram na sinopse, como a lindeza e fofura do Dereck, o melhor amigo da Alice, os mistérios que envolvem a partida de sua mãe, a história de vida dolorida do Alec, e muito mais aspectos que te fazem ampliar demais a perspectiva de trama que o livro possui. Eu achei isso simplesmente hilário!

Alice é uma personagem extremamente espontânea, é muito fácil de identificar com ela. Logo de cara percebemos o quanto a garota é distraída e desastrada, e só essas características já garantem boas gargalhadas no decorrer do livro. A história é narrada em primeira pessoa, sob o ponto de vista dela, e isso foi incrível, porque ela é uma protagonista muito bem construída. Apesar do abandono da mãe, Alice consegue levar um vida (quase) normal. Ela é divertida, irreverente e desbocada. É como se estivéssemos de frente para a nossa melhor amiga durante todo o enredo, e esse detalhe acaba interferindo diretamente na fluidez e no aproveitamento que fazemos da leitura. É claro que em alguns momentos Alice passa por crises existenciais, e em outros ela fica especialmente repetitiva falando do Alec, mas essas são as características que a aproximam ainda mais do leitor, porque, vamos falar a verdade, quem nunca passou por nenhum dessas fases? Eu adorei a personagem exatamente por isso: ela é como qualquer pessoa do mundo real pode ser.

E o Alec, bom, o Alec... Cala a boca! (o Matheus entenderá!) Ele é incrível! Deixe eu colocar de um jeito explícito: fiquei apaixonada por ele tanto quanto a Alice. E não foi só por conta da beleza enormemente grande que ele possui (claro que isso ajudou!), mas sim pela pessoa que ele se mostrou durante toda a trama: prestativo, extremamente carinhoso, protetor, seguro, corajoso, às vezes um tanto possessivo, admito, mas que garota não gosta de se sentir desejada? (sem excessos, ok?) Alec é um príncipe, e depois de conhecer a história do protagonista (e nesse ponto eu preciso dizer que chorei, e vou parar de falar nisso antes que eu chore de novo, porque o Matheus não foi nem um pouco legal com o Alec!) isso só ficou ainda mais claro na minha mente. Ele passou por muita coisa, e tinha todos os motivos do mundo para ser uma péssima pessoa, mas, ao invés disso, ele escolheu ser esse doce que temos o privilégio de conhecer durante o livro, sempre com as palavras certas, sempre encontrando um modo, mesmo maluco, de fazer a Alice sorrir, essa garota tem muita sorte, o que mais eu posso dizer? 

Antes de terminar essa resenha eu preciso dar os parabéns ao Matheus, mais uma vez, porque além de uma trama muito bem montada, ele conseguiu falar sobre o tema da prostituição de um jeito quase natural, sem entrar em julgamentos preconceituosos, em tabus ou qualquer outra ideia pronta que ouvimos por aí. Além disso, as poucas cenas quentes que existem no livro chegam a ser até mesmo fofas de tão delicadamente descritas. Admiro demais quando os autores conseguem passar por esses episódios sem cair na vulgaridade, e foi exatamente isso que o Matheus fez, e eu, como romântica irrepreensível, achei isso fantástico!

Quanto à diagramação da editora, está linda, completamente harmonizada com a história e com os personagens que a compõem. A capa tem cores vivas, que combinam entre si, e eu consigo definitivamente imaginar o Alec e a Alice naquela imagem. As páginas são amareladas, a fonte é agradável à leitura, e as partes da história são divididas em rounds (achei isso o máximo, retrata exatamente o relacionamento conturbado dos protagonistas!), sendo que, na abertura de cada um deles, existe uma citação de um livro consagrado, que encaixa perfeitamente com o conteúdo que vamos encontrar naqueles capítulos que seguem.

Para finalizar essa resenha, posso dizer que eu me diverti com a leitura. Eu ri muito, chorei muito, me emocionei ainda mais, e fiquei suspirando quando fechei o livro. Acho que são exatamente estas as histórias que valem a pena: aquelas que mexem com aquele sentimento dentro da gente, que está ali, esperando para ser despertado por palavras que nos pareçam familiares. E foi isso que o Matheus conseguiu fazer, ele acordou a parte leve e cheia de ternura que existe aqui no meu peito, e me deixou encantada pela Alice, pelo Alec, pelo Dereck, pela Ana, por todos os personagens e suas histórias. Foi uma ótima primeira impressão da editora, e eu espero que a nossa parceria renda sempre leituras tão prazerosas quanto esta! Até a próxima postagem!

Beijos 

5 comentários:

  1. A cada resenha do blog minha lista de livro vai crescendo ... kk
    Realmente este livro promete agradar os leitores por contar uma história em que muitos já estão acostumado. Fiquei impressionado com sua resenha, como você mesmo disse o fato de um autor entrar em um fato do cotidiano de muitas pessoas (a prostituição) de uma maneira sem cair na vulgaridade conta muito para uma leitura ótima.

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Adorei a resenha! Nota mil!!! Amo livros cinco estrelas rsrsrs .
    Não vejo a hora de ler essa história.
    Parece tão fofa... <3

    http://nosleitoras.com/

    ResponderExcluir
  3. Nossa realmente não gostei do livro - achei a personagem masculina - tipo nenhuma menina na face da terra fala enguia, másculos e tantos palavrões .... não recomendo ... sinceramente

    ResponderExcluir
  4. "Nenhuma menina da face da terra fala enguia", ual!, acho o mundo tão grande. Sabe "Memórias de Uma Gueixa", lá, uma personagem feminina, fala enguia. E palavrões?, tenho uma amiga real (patricinha) que fala 8 palavrões a cada 10 palavras e eu nem vou citar os outros milhões de garotas pelo mundo, já me perdi, rs.

    Mas enfim, é uma pena que o livro não tenha dado certo contigo. Beijo!

    ResponderExcluir
  5. hahah Adorei a resenha, Patrini, fico feliz que tenha gostado da Alice e cia! <3

    ResponderExcluir