[RESENHA] Híbrida - Mari Scotti

Hey, pessoas!

Como quem acompanha o blog já sabe, a nossa primeira parceria com autores foi feita recentemente, e não poderia ter sido melhor. Mari é uma fofa, super simpática, e mandou o livro para resenha com uma agilidade incrível, tanto é que hoje eu já trago para vocês as minhas impressões sobre essa história, que acabou por me conquistar. Vamos conferir?

Híbrida
TÍTULO: Híbrida
AUTOR: Mari Scotti
EDITORA: Novo Século
NÚMERO DE PÁGINAS: 360 páginas
SINOPSE: Por toda vida Ellene teve a sensação de ser diferente de seus irmãos e dos moradores de sua vila, pois não adquiriu características de lobisomem como era esperado, e afastava-se cada vez mais desta natureza. Com um espírito rebelde, resolve desvendar o passado em busca de sua verdadeira origem. O que não planejava era entrar no meio de uma rixa entre vampiros, a raça que aprendeu a temer e odiar desde menina. Para piorar, seus pesadelos voltaram: sonhos com um homem misterioso de olhos ameaçadores, envolvido por uma densa neblina. Há quase cem anos a rainha dos vampiros fora sequestrada e seu marido, Milosh, desde então busca incessantemente encontrá-la. O tempo é escasso e as autoridades do Conselho desejam eleger um rei omisso e cruel em seu lugar. Na tentativa de tardar a mudança, ele se une a maior inimiga da rainha. Qualquer erro pode condená-lo a morte e subjugar todos os seus iguais. Ellene e Milosh mal sabem que o que buscam os colocará frente a frente, em uma trama de intrigas, poder, amor e ódio.



"E se em suas veias corresse o sangue do seu maior inimigo?"



Recentemente, firmei parceria com a autora nacional Mari Scotti (beijo, Mari ), e antes mesmo de ter o resultado da seleção confirmado, já torcia para que tudo desse certo, porque eu estava mesmo interessada na sinopse do livro. Mais que isso: eu estava ansiosa para lê-lo. Sabia antes mesmo de ele chegar até mim que não ia me decepcionar, e foi exatamente isso que aconteceu.

Ellene é uma adolescente de dezessete anos, nada normal. Sua vida toda, ela foi criada em uma aldeia de lobisomens, e acha que essa é sua verdadeira natureza. Porém, ela sente-se deslocada e completamente diferente das pessoas ao seu redor, já que ainda não adquirira suas características de lobisomem, como era esperado dela. Ela não conseguia conformar-se com isso, e sentia que algo estava errado. Quando, por acaso, descobriu ser adotada, percebeu nas suas verdadeiras origens uma oportunidade para entender o porquê de ela ser tão distinta daqueles que viviam ao seu redor. Milosh é um vampiro poderoso, guardião e marido da rainha dos vampiros Elizabeth, seu primeiro e único amor. Ele vê seu mundo vir abaixo quando a mulher que ama, e a qual mantém os seres da noite controlados através de leis e punições, para que eles não cheguem a barbárie, é sequestrada. Quase um século depois, ele continua sua busca, sem sucesso, e com mais pressa do que nunca, já que será preciso escolher outro governante ao completar cem anos do desaparecimento de Elizabeth. Desorientado, ele só tem a ligação telepática para comprovar que sua amada ainda está viva, e mesmo essa conexão já começa a ficar rareada. Em uma dessas conversas por pensamento, Elizabeth pede a ele que encontre sua filha, o que faz Milosh pensar que ela não se encontra no seu juízo perfeito, já que mestiços (como são chamados filhos de vampiros com outros seres sobrenaturais) são completamente inaceitos em seu mundo. A partir de toda essa confusão, as vidas de Ellene e Milosh ligam-se por coincidência e capricho do destino, e eles terão de enfrentar seus maiores medos para realmente chegarem a solução de seus problemas. Depois de uma vida inteira sendo ensinada que vampiros são cruéis e inimigos, será que Ellene conseguirá entender que, agora, eles são seus maiores aliados?



Que eu sou fã de histórias sobrenaturais não é novidade. Agora, imagine um livro que une vampiros e lobisomens, meus seres fantásticos favoritos. O resultado não poderia ser outro: Híbrida virou um dos meus queridinhos. Logo na primeira linha eu já sabia que a história seria de tirar o fôlego, e eu estava tão certa, que não consegui largar o livro antes de chegar a última página, e fiquei ansiando por mais. Com uma narrativa fluida, e ao mesmo tempo rápida sem ser confusa, Mari conquistou meu coração, e me fez adentrar a história junto com ela. Eu me envolvi completamente com a trama, e em muitos momentos não conseguia respirar, por todos os acontecimentos do livro. Se eu tivesse que definir Híbrida em apenas uma palavra, ela seria: surpreendente. Muitas histórias por aí tratam dessas duas criaturas tão queridas por mim, mas eu confesso que fiquei encantada com a forma como a Mari conseguiu ligar os dois seres sobrenaturais, como se um odiasse o outro, e ao mesmo tempo uma das duas raças não existisse sem a rival. Isso foi um dos detalhes que mais me marcou na leitura, e o que difere Híbrida de todos os outros livros do gênero.

Ellene foi uma personagem com a qual me afeiçoei logo de cara. Ela é decidida, irônica e ama sua família acima de tudo. Me identifiquei muito com a personalidade dela, e por isso foi fácil para mim me conectar à personagem. Além disso, o sentimento de ser diferente que ela carrega consigo traz todo um charme a sua aura, e é praticamente impossível não querer adentrar nesse mistério que há em torno da garota. Milosh é um homem honrado e leal, que não mede esforços para proteger seu povo e a mulher a quem ama. Completamente devotado a rainha, seu amor, ele vive culpando-se por não ter sido capaz de protegê-la. E eu realmente não achei suas lamentações cansativas como sempre reclamo (Mari, você é um gênio!), mas aprendi a admirá-las. É difícil para qualquer um de nós perder a pessoa que amamos bem na nossa frente, que foi o que aconteceu com ele, mas o mais complicado é não desistir da busca por esse amor quando ela se torna quase improvável. Milosh é atento e dedicado a encontrar Elizabeth, e isso me fez admirá-lo imensamente. 

Heidy é uma garota complicada. Apaixonada por Milosh desde que o conheceu, ela não aceita que ele não seja seu, e faz tudo o que pode (e também o que não deve) para tê-lo ao seu lado. Senti muita raiva de seu temperamento explosivo e mimado durante a narrativa, mas confesso que, conforme a história evoluía, senti certa compaixão por ela. É terrível amar alguém e não ser correspondido, apesar de eu achar que isso não justifica as escolhas que ela tomou. Mas consegui compreender um pouco o lado dela da história, depois de muito relevar. Tomás, preciso admitir, foi um dos personagens menos empolgantes da narrativa para mim. Ele faz par romântico com Ellene, mas os dois não tem a menor chance de dar certo, já que são de mundos completamente distintos. Tomás ignora isso completamente, e você pode até considerar que isso seja romântico e fofo da parte dele, mas ao mesmo tempo que ama Ellene a esse ponto, o mocinho se rende ao charme de Carolina, uma antiga paixão. Me desculpe, querido, mas indecisão nesse quesito não é aceitável, ok? Seja um lobo monogâmico, por favor! Além disso, ele também é bem explosivo, e, quando descobre as verdadeiras origens de Ellene, não sabe se fica ao lado dela ou se enche-se de ira por ela ser o que é. Não gostei dele, me perdoe, Mari! Há alguns outros personagens muito interessantes na narrativa, e por isso mesmo eu senti uma certa falta de mais informações sobre eles, mais participação deles na trama, como por exemplo os pais de Ellene, seu irmão Jacó e até mesmo Carolina. Isso não diminuiu em nenhum momento a maestria da narração, mas eu sou muito curiosa e apegada aos detalhes, então geralmente preciso me inteirar sobre tudo e todos.



O cenário do livro é a cidade de São Paulo (inclusive, eu adorei as cenas do metrô), o que dá uma dimensão bastante ampla a minha imaginação, visto que eu não conheço a cidade. Gostei muito da Mari ter escolhido uma cidade brasileira para palco da história, acho muito importante valorizarmos coisas que são nossas por natureza. Outra parte que eu curti muito no enredo foram as habilidades que a autora deu a seus personagens, o que influenciou completamente no desenvolvimento da trama, e o modo como ela ligou a vida de todos eles, de um jeito ou de outro. No decorrer da trama, tudo vai se conectando, todos os personagens acabam conhecendo-se, e eu realmente gostei muito desse cuidado que a Mari demonstrou. Fiquei ansiosíssima para a continuação, mal consigo esperar pelos encontros que vão ocorrer (se quiser saber mais, é só ler rs).

A diagramação do livro, nas páginas, é bem simples, e é desse jeito mesmo que eu mais gosto. Creio que uma diagramação não pode chamar mais a atenção do que o próprio conteúdo do livro, e a importância disso ficou evidente pra mim nesse livro: eu perderia uma história maravilhosa me concentrando demais aos detalhes editoriais. Adorei o trabalho que a Novo Século fez na capa do livro. Detalhada, ela é envernizada, e o título é em relevo, o que eu gosto bastante, pois as sensações são uma das melhores coisas em livros físicos: quanto mais, melhor! As folhas são amareladas, e a fonte é agradável à leitura. Não tenho do que reclamar quanto aos erros de digitação ou correção, pois não os encontrei.



Chegando ao final da resenha, eu não poderia deixar de indicar o livro para vocês. A história é complexa e te faz realmente viajar para outro mundo, um mundo sobrenatural que tu vai jurar de pé junto ser real depois que terminar a leitura. Fico muito lisonjeada de saber que a nossa literatura nacional está indo por esse caminho, com representantes tão competentes quanto a Mari. E claro, não podia deixar de agradecer a essa autora querida por toda a confiança, carinho e cuidado que ela teve comigo e com o LV. 


Obrigada, Mari, por todos os mimos, pela didecatória emocionante e verdadeira e por me dar a oportunidade e o privilégio de dividir esse sonho contigo, e conhecer esses personagens tão marcantes e incríveis que a tua imaginação criou.

A vocês, que leram até aqui (eu sei que falo demais), minha dica final é a de quem deem uma chance a esse livro. Tenho absoluta certeza que vocês irão se apaixonar pela história tanto quanto eu, torcer e sofrer pelos personagens como eu. Mari é uma escritora de mão cheia, e merece o reconhecimento e a sua atenção ao livro. Não vai haver arrependimento, eu garanto. Até a próxima postagem!

Beijos 

[RESENHA EBOOK] A Igreja Vermelha - Scott Nicholson

Hey, pessoas!

Recentemente, decidi que preciso começar a ler mais e-books. Assim ajudo no meu orçamento rs 

Pensando nisso, resolvi começar a procurar na Amazon por algum título que me interessasse e encontrei muitos. Entre eles estava A Igreja Vermelha, um thriller difícil de parar de ler, de Scott Nicholson. A resenha de hoje é sobre ele. Vem, porque eu vou contar tudo sobre esse livro eletrizante!


TÍTULO: A Igreja Vermelha
AUTOR: Scott Nicholson
EDITORA: Haunted Computer Books
NÚMERO DE PÁGINAS: 276 páginas
SINOPSE: Para Ronnie Day, de 13 anos, a vida é cheia de problemas: Papai e Mamãe se separaram, o irmão Tim é uma peste constante, Melanie Ward o ama ou o odeia, e Jesus Cristo não fica em seu coração. Além disso, ele tem que passar pela igreja vermelha todos os dias, onde o Monstro do Sino se esconde com suas asas e garras e fígado nos olhos. Mas o maior problema é que Archer McFall é o novo pregador da igreja, e Mamãe quer que Ronnie assista aos serviços da meia-noite com ela.O delegado Frank Littlefield odeia a igreja vermelha por um motivo diferente. Seu irmão menor morreu em um terrível acidente na igreja há vinte anos, e agora Frank começou a ver o fantasma do irmão. E o fantasma exige: "Liberte-me". As pessoas estão morrendo em Whispering Pines, e os assassinatos coincidem com o retorno de McFall.Os Day, os Littlefield e os McFall são descendentes das famílias originais que povoaram a comunidade rural das Apalaches. Essas famílias antigas compartilham um segredo de traição e culpa, e McFall quer que a congregação prove sua fé. Porque ele acredita que seja o Segundo Filho de Deus, e que a purificação dos pecados deve ser feita com sangue.— Sacrifício é a moeda de Deus — prega McFall, e, a não ser que Frank e Ronnie o detenham, todos pagarão.




Ronnie Day tem 13 anos, e sua única preocupação são o pouco de Jesus que existe em seu coração, sendo sempre repreendido pelo pregador de sua escola por seus 'pecados de coração', a separação de seus pais e a conquista do amor de Melanie Ward, sua paixão da infância. Frank Littlefield é um delegado pouco ortodoxo, que acredita em fantasmas, por sua própria experiência de perda do irmão mais novo. A única coisa em comum entre estes dois é a cidade onde moram, Whispering Pines, e o medo incontrolável que sentem pela igreja vermelha do local. Abandonada há muito tempo, a história da igreja é rodeada por histórias sobrenaturais, e todas elas incluem o espírito do pregador McFall, decapitado naquele lugar por uma atrocidade cometida em sua insanidade. 

Uma nova onda de assassinatos cruéis coloca o delegado novamente em contato com seus maiores medos e piores lembranças. Seguindo as intuições, única pista que ele tem, tudo o leva mais uma vez ao fantasma que ele tanto teme. Quando um novo pregador chega à cidade, Archer McFall, as coisas ficam ainda mais estranhas, e Ronnie acaba mergulhando de cabeça na história, contra todas as suas vontades, simplesmente porque sua mãe nutre uma certa fascinação estranha por Archer. Segundo o novo pregador, o segundo filho de Deus está próximo, para acabar com os pecados da famílias originais, que mataram o antigo McFall. Na verdade, Archer acredita ser ele o Segundo Filho, e a purificação das famílias antigas deve ser feita com sacrifício e morte. É preciso detê-lo, antes que complete aquilo que crê ser seu destino.

A Igreja Vermelha é um dos maiores sucessos de Nicholson, e foi inspirada em uma igreja real, próxima da casa do autor. Quando comecei a ler o livro, confesso que não tinha nenhum tipo de expectativa. A sinopse me chamou atenção, mas eu nunca havia tido contato com a escrita de Scott, e tenho sérios problemas com títulos deste gênero, pois sempre quero ler algo no estilo Stephen King, e nem sempre (quase nunca, digamos) os escritores alcançam esse nível. Não que isso seja ruim, mas acaba me deixando desestimulada. Scott Nicholson não escreve como King, mas me surpreendeu de uma forma que não achei que conseguiria. Por ser um livro digital, na maioria das vezes demoro algum tempo para ler, pois a leitura me cansa e sempre acabo me distraindo com algo no próprio computador. Mas com A Igreja Vermelha isso passou longe de ser verdadeiro. Eu não consegui desgrudar da história antes de ler a última palavra, e dei a leitura por encerrada em menos de um dia inteiro! A sensação foi tão incrível que não consegui me conter e pesquisei mais sobre o autor e seus livros. Já consegui os outros títulos e em breve venho falar deles para vocês. O que posso adiantar é que você nunca ficará saciado depois de ler a primeira linha, e sempre vai ansiar por mais histórias.

O livro é narrado em terceira pessoa, intercalando o ponto de vista de Littlefield e Ronnie a cada capítulo. A contextualização que Nicholson fez da história por trás da igreja foi  tremendamente detalhada, e isso só influenciou na fluidez da leitura. Somos apresentados ao passado da cidade e de seus moradores, e a cada medo que os assombra. A escrita de Nicholson é descritiva sem ser cansativa, e consegue nos transportar para dentro da história, como se estivéssemos mesmo vivendo as aflições e traumas de cada personagem.

Ronnie é um garoto adolescente como qualquer outro, e tem preocupações de adolescentes. Sofre com a separação dos pais, mas como qualquer criança acredita que eles ainda vão voltar a ficar juntos. Ele e seu irmão mais novo, Tim, estão sempre de rixa, mas no fundo, amam-se um ao outro incondicionalmente, é possível sentir isso na preocupação que um tem para com o outro. Na escola, Ronnie tem sérios problemas com o pregador Staymore, que insiste em falar de seus 'pecados do coração' e no quanto ele precisa deixar Jesus entrar em seu coração, mesmo que Ronnie não saiba o que é preciso para isso. Dá pra perceber a infantilidade de seus problemas, e eu realmente gostei dele ser construído desse modo. Crianças precisam ser crianças, mesmo que as aventuras sejam enormes. Apesar de sua personalidade um tanto imatura, Ronnie é corajoso e enfrenta seus medos, por mais terrível que eles possam parecer e por mais ajuda que ele busque. Ele foi o personagem com o qual mais me conectei durante a leitura, sentia vontade de abraçá-lo e protegê-lo da mãe maluca e insana, na qual eu estive prestes a entrar no livro para dar uns bons tapas. Littlefield é um homem que vive do passado. Todos os dias ele se culpa pela morte do irmão, e é atormentado por seu fantasma. Isso o deixa completamente atordoado, mas ele tenta ao máximo disfarçar essas sensações, até por causa do trabalho sério e das responsabilidades que tem. No decorrer da narrativa, me enchi de compaixão por ele, por toda a dor que sente. Além de perder seu irmão de forma trágica, ele também perdeu os pais, e precisa lidar com seus fantasmas sozinho, diariamente. Ele é forte e honrado, características que admiro numa pessoa. Este foi um livro em que todos os personagens principais fizeram a diferença, e Nicholson conseguiu despertar sentimentos em mim com cada um deles, seja eles bons ou péssimos. Não pude ficar indiferente diante da crueldade de Archer, da crença cega de sua mãe no filho e de sua revolta com Deus, e a forma fria com que Linda (mãe de Ronnie e Tim) entregou seus filhos nas mãos do pregador, que ela venerava. 

As cenas de terror não me assustaram como deveriam pelo gênero, mas isso não me incomodou nem um pouco. O que eu mais gostei na narrativa foi a forma como o autor aborda temas tão corriqueiros para nós, como a religião e suas crenças e a coragem que precisamos reunir para enfrentar nossos medos e desafios. Nicholson inova em suas reflexões, e nos faz chegar a um nível no qual nunca pensamos antes. Ele nos mostra o quanto somos fortes pelas pessoas que amamos, e como podemos conquistar qualquer vitória quando realmente queremos. São lições para levar a vida toda.

A única coisa que me incomodou e confundiu um pouco na narrativa foi a quantidade de personagens que Scott coloca em seu enredo. Entendo que cada um tenha um papel, mas acho que o número foi muito elevado para conseguirmos acompanhar, e alguns ficaram realmente um tanto superficiais, principalmente os personagens secundários. Conforme a leitura fluiu e se desenvolveu, consegui me acostumar ao ritmo de entrada e saída de personagens, mas gostaria que o autor tivesse focado um pouco mais nos coadjuvantes e em seu papel. Esse fato, porém, não interferiu no meu julgamento sobre o livro, que ganhou cinco estrelas com todo o merecimento.

Como já escrevi demais, vou parar por aqui, mas não sem antes deixar um dos quotes que mais me marcaram na leitura para que vocês fiquem curiosos com a história:


"Littlefield assentiu. Ele nunca sabia como se comportar na presença de um pregador. Ele sentia uma pontada de culpa por seus pecados e as visitas irregulares à igreja, mas normalmente uma aura de calma e perdão emanava de uma pessoa religiosa. Com Archer, entretanto, ele não sentia nada além de culpa." 

Com certeza Scott conquistou um lugar na lista de meus autores favoritos, e eu ainda pretendo acompanhar seu trabalho. Recomendo vocês a fazerem o mesmo, garanto que não vão se arrepender. Até a próxima postagem!

Beijos 

[POST ESPECIAL] Livros sobre Auschwitz

Hey, pessoas!

Hoje fazem 70 anos que os últimos prisioneiros foram libertados de Auschwitz, o maior campo de concentração nazista. Mesmo depois de todo este tempo, o campo ainda é lembrado como palco de uma das maiores atrocidades já sofridas (e praticadas, infelizmente) pela humanidade. A memória de Auschwitz está viva em muitas obras de nossa literatura atual, e nessa ocasião especial, em que comemoramos uma vitória na luta diária contra a crueldade e a ignorância, o blog não podia deixar de lembrar alguns dos muitos títulos que nos recordam os sentimentos e consequências desta época devastadora. São relatos emocionantes, e que com certeza te tocarão de alguma forma. Não há como sair destes livros ilesos, eles nos mudam.

1. O Menino do Pijama Listrado (John Boyne)



SINOPSE: Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz ideia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O Menino do Pijama Listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

2. O Homem que Venceu Auschwitz (Denis Avey e Rob Broomby)


SINOPSE: O livro conta a extraordinária história real um soldado britânico que se infiltrou no campo de concentração de Auschwitz. No verão de 1944, Denis Avey trabalhava num campo de prisioneiros de guerra próximo ao campo de concentração de Buna-Monowitz, conhecido como Auschwitz III. Já tinha ouvido falar da brutalidade no tratamento dos prisioneiros de lá e estava determinado a testemunhar o que podia. Traçou, então, um plano para trocar de lugar com um prisioneiro judeu e infiltrou-se no campo de concentração, onde foi a testemunha ocular da barbárie que lá ocorria. Durante muitas décadas, Avey não se sentiu preparado para relatar a experiência do passado, porém agora, aos 91 anos, revela em seu livro tudo o que presenciou. O homem que venceu Auschwitz está desde seu lançamento na lista dos mais vendidos britânica. 

3. A Bibliotecária de Auschwitz (Antonio G. Iturbe)


SINOPSE: Um emocionante romance baseado na história verídica de uma jovem checa, a bibliotecária do Bloco 31, de Auschitwz – Dita Dorachova - com quem o autor teve oportunidade de falar e que resgata do esquecimento uma das mais comoventes histórias de heroísmo cultural. Auschwitz-Birkenau, o campo do horror, infernal, o mais mortífero e implacável. O Bloco 31 tinha 500 crianças, e neste lugar onde os livros eram proibidos, a jovem Dita escondia todas as noites os frágeis oito volumes da biblioteca mais pequena, recôndita e clandestina que jamais existiu. No meio do horror, Dita dá-nos uma maravilhosa lição de coragem: não se rende e nunca perde a vontade de viver nem de ler porque, mesmo naquele terrível campo de extermínio nazi, abrir um livro é como entrar para um comboio que nos leva de férias. Um livro diferente de tudo o que já leu sobre o Holocausto e de que poucos têm conhecimento. Pela primeira vez ficamos a saber da existência de livros num campo de extermínio. Minuciosamente documentado, e tendo como base o testemunho de Dita Dorachova, a jovem bibliotecária checa do Bloco 31, este livro conta a história inacreditável, mas verídica, de uma jovem de 14 anos que arriscou a vida para manter viva a magia dos livro, ao esconder dos nazis durante anos a sua pequena biblioteca, de apenas oito volumes, no campo de extermínio de Auschwitz. Este livro é uma homenagem a Dita, com quem o autor tanto aprendeu, e à memória e valentia de Fredy Hirsh, o infatigável instrutor judeu do Bloco 31 que criou em segredo uma pequena escola e uma ainda mais minúscula biblioteca, apenas com oito livros.

4. Depois de Auschwitz (Eva Schloss)



SINOPSE: Em seu aniversário de quinze anos, Eva é enviada para Auschwitz. Sua sobrevivência depende da sorte, da sua própria determinação e do amor de sua mãe, Fritzi. Quando Auschwitz é extinto, mãe e filha iniciam a longa jornada de volta para casa. Elas procuram desesperadamente pelo pai e pelo irmão de Eva, de quem haviam se separado. A notícia veio alguns meses depois: tragicamente, os dois foram mortos. Este é um depoimento honesto e doloroso de uma pessoa que sobreviveu ao Holocausto. As lembranças e descrições de Eva são sensíveis e vívidas, e seu relato traz o horror para tão perto quanto poderia estar. Mas também traz a luta de Eva para viver carregando o peso de seu terrível passado, ao mesmo tempo em que inspira e motiva pessoas com sua mensagem de perseverança e de respeito ao próximo – e ainda dá continuidade ao trabalho de seu padrasto Otto, pai de Anne Frank, garantindo que o legado de Anne nunca seja esquecido.

5. Maus (Art Spiegelman)

maus

SINOPSE: Maus é a história do pai de Art Spiegelman, sobrevivente de Auschwitz. Judeus poloneses, Vladek e sua mulher Anja fizeram de tudo para não serem despachados para o campo de concentração: se mudaram para a Tchecoslováquia, moraram em bunkers, enviaram um filho para ser criado por uma prima (que depois seria morto), foram parar em guetos, fizeram trabalhos forçados. Mas acabaram separados – e quase foram executados. Ambos sobreviveram, mas os traumas foram indeléveis: Vladek ficou obsessivo em colecionar e economizar tudo que podia (afinal, nunca se sabe quando o horror pode se instalar novamente) e Anja se matou quando Art tinha 20 anos. Foi para espantar seus fantasmas pessoas que Spiegelman criou essa HQ, um relato assombroso.

6. Uma Criança de Sorte (Thomas Buergenthal)


SINOPSE: Muito já foi escrito sobre os horrores do Holocausto, mas não há história mais emocionante que a de Thomas Buergenthal em Uma criança de sorte. À primeira vista, parece não existir sorte alguma em sua vida: ainda não tinha seis anos quando ele e seus pais foram obrigados a viver num gueto na Polônia e, em 1944, aos dez anos, foi enviado a Auschwitz com sua família.  Após ser separado dos pais, o pequeno Thomas, forte e esperto, trabalha para escapar da morte nas câmaras de gás, e assim consegue resistir à tragédia que assolou o mais conhecido campo de concentração da Segunda Guerra Mundial. Quase um ano depois de sua chegada a Auschwitz e de sobreviver à Marcha da Morte e a Sachsenhausen — outro campo de concentração sob o comando da guarda alemã —, onde sofreu severamente com a fome e o frio, Thomas afinal estava livre... e sozinho. Thomas Buergenthal relata, nesta autobiografia traduzida para mais de dez idiomas, todos os incríveis detalhes de uma história comovente, para que o Holocausto seja finalmente compreendido “através dos olhos daqueles que sobreviveram a ele”.

7. O Voluntário de Auschwitz (Capitão Witold Pilecki)


SINOPSE: Witold Pilecki, capitão do Exército do Estado clandestino polaco, fez algo que mais ninguém teve a coragem de repetir: voluntariar-se para ser preso em Auschwitz, o mais violento e mortífero campo de concentração nazi, e, dessa forma, relatar os horrores ali praticados pelo Terceiro Reich. A missão, realizada entre 1940 e 1943, tinha dois objetivos: informar os Aliados sobre as práticas nazis nos seus campos de concentração, dos quais se conheciam, então, apenas algumas informações esparsas, mas muito preocupantes; e organizar os prisioneiros em grupos de resistência contra as forças alemãs, na tentativa de controlar o campo. Sobrevivendo a muito custo a quase três anos de fome, doença e brutalidade, Pilecki foi bem-sucedido na sua missão, conseguindo evadir-se do campo de concentração em abril de 1943. "O Voluntário de Auschwitz2 é o relatório mais extenso do capitão Witold Pilecki, completado em 1945, no exílio. Escondido pela ditadura comunista na Polónia durante mais de 40 anos, este documento único na história e na literatura sobre Auschwitz, a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto é agora publicado pela primeira vez em português.

8. O Diário de Anne Frank (Anne Frank)

O Diário de Anne Frank

SINOPSE: "12 de junho de 1942 - 1° de agosto de 1944. Ao longo deste período, a jovem Anne Frank escreveu em seu diário toda a tensão que a família Frank sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. Ao fim de muitos dias de silêncio e medo aterrorizante, eles foram descobertos pelos nazistas e deportados para campos de concentração. Anne inicialmente seguiu para Auschwitz e mais tarde para Bergen-Belsen."

É isso por hoje, galera, espero que vocês possam ler os livros, com certeza as histórias são dignas de leitura. Comoventes e reais, não há como não se envolver com elas. Me contem nos comentários se já conhecem algum dos títulos citados. Até a próxima postagem!

Beijos 

[POST ESPECIAL] Livros para ler antes que cheguem ao cinema

Hey, pessoas!

Já deu pra perceber que 2015 vai ser um ano privilegiado para os fãs de livros, pois muitos deles serão adaptados para a telinha. Fora o furo no orçamento, a ansiedade da espera e a correria pelas estreias, a notícia não poderia ser melhor. Mas é claro que todo leitor adora conhecer a história antes de todos os spoilers do cinema, e foi pensando nisso que preparei para vocês uma lista com os principais títulos a serem lidos antes do seu lançamento como longa. Fiquem ligados, e bora pro cinema, galera!

1. Simplesmente Acontece (Cecelia Ahern)

Simplesmente Acontece (Foto: Divulgação)

SINOPSE: Rosie e Alex são melhores amigos desde a infância, mas nunca se deram conta de que deveriam ficar juntos. Apesar da distância durante a adolescência, eles mantêm contato via cartas e email, sempre prestes a iniciar um romance. Da mesma autora de P.S. Eu Te Amo. Entre os atores do elenco temos Lily Collins e Sam Claflin como os protagonistas do longa.

2. O Sétimo Filho (Joseph Delaney)


SINOPSE: O velho Gregory é o fantasma da região e está à procura de um substituto. Depois de inúmeros candidatos, o jovem Thomas é seu último e promissor aprendiz. O elenco, entre muitos outros nomes, tem Jeff Bridges, Kit Harington, Julianne Moore e Ben Barnes.

3. Sniper Americano (Chrys Kile)


SINOPSE: Baseado na autobiografia de Chris Kyle, atirador de elite recordisda dos EUA, com mais de 150 mortes confirmadas em seu currículo. Seis indicações ao Oscar. O filme terá o protagonista interpretado pelo ator Bradley Cooper.

4. Para Sempre Alice (Lisa Genova)


SINOPSE: A história de Alice Howland, mãe e professora que começa a perder a memória por conta da doença de Alzheimer’s e tenta manter seu estilo de vida e independência a todo custo. Uma indicação ao Oscar. O elenco conta com as participações de nomes consagrados como Julianne Moore, Kate Bosworth, Alec Baldwin e Kristen Stewart, entre muitos outros.

5. Cinquenta Tons de Cinza (E. L. James)

Cinquenta Tons de Cinza (Foto: Divulgação)

SINOPSE: Anastasia Steele é uma estudante de literatura de 21 anos, recatada e virgem. Uma dia ela deve entrevistar para o jornal da faculdade o poderoso magnata Christian Grey (Jamie Dornan). Nasce uma complexa relação entre ambos: com a descoberta amorosa e sexual, Anastasia conhece os prazeres do sadomasoquismo, tornando-se o objeto de submissão do sádico Grey. Como protagonistas temos Jamie Dornan e Dakota Johnson.

6. Mapas Para as Estrelas (Bruce Wagner)


SINOPSE: Agatha Weiss acabou de chegar a Los Angeles e logo conhece Jerome Fontana, um jovem motorista de limusine que sonha se tornar ator. Eles começam a sair juntos e flertar um com o outro, por mais que Agatha mantenha segredo sobre seu passado. Não demora muito para que ela comece a trabalhar para Havana Segrand, uma atriz decadente que está desesperada para conseguir o papel principal da refilmagem de um sucesso estrelado por sua mãe, décadas atrás. Paralelamente, o garoto Benjie Weiss enfrenta problemas ao lidar com seu novo colega de elenco, já que é a estrela principal de uma série de TV de relativo sucesso. Entretanto, como esteve internado recentemente, está sob a atenção especial de sua mãe e dos produtores da série, que temem um escândalo. No elenco temos Julianne Moore (que está arrasando em mais de um filme), Mia Wasikowska, John Cusack e Robert Pattinson.

7. A Série Divergente: Insurgente (Veronica Roth)


SINOPSE: Insurgente é o segundo livro da série distópica. Na trama, Tris continua a luta para impedir que Jeanine Matthews mate os demais divergentes e divida a sociedade. No papel dos protagonistas temos Shailene Woodley e Theo James.

8. Uma Longa Jornada (Nicholas Sparks)

A Viagem Mais Longa (Foto: Divulgação)

SINOPSE: Assim como os demais livros de Sparks, a história gira em torno de romance, segredos e cenas emocionantes. Nesse, as vidas de dois casais irão se cruzar de forma profunda. Temos, no elenco, Scott Eastwood e Britt Robertson.

9. Cidades de Papel (John Green)

Cidades de Papel (Foto: Divulgação)

SINOPSE: Margo Roth Spiegelman é uma garota aparentemente comum que convence o jovem a embarcar em uma missão de vingança. Só que no dia seguinte ela desaparece e deixa pistas para ele, que parte com os amigos em uma busca para encontrá-la, sem saber se ela ainda estará viva.

10. Como Eu Era Antes de Você (Jojo Moyes)

Como Eu Era Antes de Você (Foto: Divulgação)

SINOPSE: Quando Will Traynor acaba em uma cadeira de rodas depois de um acidente de motocicleta, ele acha que não conseguirá levar uma vida longe das emoções de viajar o mundo e praticar esportes radicais, mas Louisa Clark é contratada para cuidar dele por seis meses e irá mostrar a ele que é possível encontrar uma nova forma de viver. No elenco temos Emilia Clarke e Sam Claflin.

11. Maze Runner: Prova de Fogo (James Dashner)

Maze Runner: Provas de Fogo (Foto: Divulgação)

SINOPSE: No segundo livro da série Maze Runner, Thomas e os rapazes tentam concluir uma nova missão, enfrentando perigosas condições climáticas. O elenco conta com nomes como Dylan O’Brien, Kaya Scodelario e Thomas Brodie-Sangster.

12. Victor Frankenstein (Mary Shelley)

Victor Frankenstein (Foto: Divulgação)

SINOPSE: Além da história de como Victor Frankenstein criou um monstro a partir de várias partes de corpor, o filme vai focar em Igor, seu corcunda ajudante. O elenco conta com nomes como Daniel Radcliffe e James McAvoy.

13. Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 2 (Suzanne Collins)

Jogos Vorazes: A Esperança - parte 2 (Foto: Divulgação)

SINOPSE: A saga de Katniss Everdeeen chega ao fim. Ela luta para derrubar a Capital e o poder do presidente Snow. O elenco tem Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson e Liam Hemsworth, entre outros nomes já consagrados.

14. Perdido em Marte (Andy Weir)


SINOPSE: O astronauta Mark Watney é o primeiro homem a pisar em Marte. E provavelmente será também o primeiro a morrer lá. Depois que sua equipe acredita que ele morreu em uma tempestade de areia, ele fica sem ter como se comunicar com a Terra para pedir socorro. No elenco temos Matt Damon, Jessica Chastain, Jeff Daniels e Kristen Wiig.

Na minha opinião, esses serão os lançamentos mais bombados neste ano. A lista com os nomes de todos os livros adaptados ainda este ano para as telinhas você encontra neste link. E vocês, ansiosos para os lançamentos? Já leram algum dos livros? Não esqueçam de me contar nos comentários! Até a próxima postagem!

Beijos 

[CRÔNICAS DO REAL #2] Função "mamãe": como um cão travesso me ensinou a amar


Meu nome é Patrini, e eu sou mãe. Meu filho tem quatro patas, focinho gelado, pelos macios que ele insiste em sujar, garras afiadas, latido rouco, orelhas atentas, olhos brilhantes, cara inocente e rabo balançante. O nome dele é Visconde, e meu coração é inteiramente preenchido por esse canino travesso.

Visconde entrou na minha vida de uma forma nada premeditada, na verdade. Todos aqueles que me conhecem sabem o quanto eu gosto de cachorros, e era exatamente por amar esse bichinhos que estava procurando um em adoção. Além de ótima companhia, eles são os bichanos mais carinhosos que conheço, e eu ia ganhar um bebê para chamar de meu. Confesso que depois de muito procurar, sem nenhum sucesso, apesar de todos os animaizinhos precisando de um lar por aí afora, eu já estava a ponto de desistir. Foi então que surgiu um anjo salvador nos meus dias, e me levou para conhecer o Visconde.

Logo que cheguei na casa da senhora que cuidava dele desde que ele fora encontrado na rua, fui bombardeada com uma onda interminável de perguntas. E por mais surpresa que ficasse, esse fato também me deixou contente: era notável o quanto a boa senhora se preocupava com o bichano. Depois de responder a todas as questões da melhor forma possível, fui levada para a sala onde estava o cachorrinho. E no momento em que a porta se abriu, eu sabia que nós estávamos destinados um ao outro.

Isso pode parecer clichê e completamente precipitado, mas os olhinhos daquele bichano me diziam que eu devia levá-lo para casa. Que todo o meu carinho devia ser dele, e que ele seria um dos melhores presentes que eu ganharia na vida. Preciso esclarecer que já tive outros cachorrinhos, sempre fui apaixonada por cada um deles, mas com o Visconde foi algo parecido com amor à primeira vista. Ele estava lá, deitado, com as orelhas em pé, o pelo eriçado na nuca pela coleira muito pesada para sua pequena cabecinha, o rabo abanando, farejando tudo ao seu redor. Levou um segundo até que ele percebesse que havia visitas, e então ele levantou-se, correu ao meu encontro e se jogou aos meus pés. No mesmo instante , me agachei e peguei-o no colo, onde ele se aninhou por entre meu pescoço e o ombro, sua cabeça deitada suavemente, como se fosse feita para ficar ali. E depois desse momento terno, o monstrinho dentro dele se revelou: senti meu cabelo sendo puxado pela mordidas, e eu fui atacada: um ataque de lambidas. O melhor ataque da minha vida.

Depois de todos os risos, a boa senhora disse uma coisa que eu própria sentia:
- Ele reconheceu você!
E eu o reconheci. Eu soube que podia parar de procurar, porque tinha encontrado a companhia que buscava, e meu coração se encheu de alegria, e meus olhos não conseguiam parar de olhar para aquele bichinho novamente encolhido em meu braços. Fiquei mais algum tempo na sala com ele, brincando como uma criança novamente. Depois de me retirar, deixei um pedaço do meu coração com ele.

Na cozinha, a senhora já havia preparado um chá e me convidou a sentar-se com ela. Aceitei, e ela contou-me como havia encontrado Visconde na rua: ele estava praticamente sem pelo nenhum por motivo da doença da qual sofria, suas patas estavam machucadas, a aparência era de um cão que há dias não comia, e ele não deixava ninguém aproximar-se, era assustado e arisco. Ele contou-me que conseguiu trazê-lo para casa depois de alguns dias levando comida, mostrando que ia machucá. Levou-o ao veterinário e fez o tratamento para tratar a doença. Ele ainda usava um creme para os pelos voltarem a crescer, mas o restante havia sido resolvido. Ela disse-me que foi um dos casos de abandono mais complicado com o qual ela havia lidado, e tudo que ela desejava agora era um lar para o bichano, com pessoas amorosas que soubessem cuidar dele como um verdadeiro membro da família. Se eu tivesse algumas dúvida sobre adotá-lo ou não, ela teria sido extinta quando a senhora me contou a história do Visconde. Depois de todo o sofrimento pelo qual o bichinho passou, eu queria ser a pessoa a mostrar a ele que ainda podia confiar em um humano. Que nem todos eram como aqueles que o tinham abandonado, que nós também éramos capazes de amar. Quando a velha senhora me perguntou se eu realmente queria adotá-lo, eu nem pensei duas vezes antes de dizer sim. E foi assim, como quem não quer nada, que Visconde ganhou meu coração, e me fez perceber que aquela foi a decisão mais acertada que já tomei.

[DEPOIS DO PLAY #1] Criminal Minds

Hey, pessoas!

O post de hoje é estreia de uma nova coluna. Vocês estão ligados que o blog está com milhares de novidades neste começo de ano, certo? E eu espero sinceramente que vocês curtam, porque é tudo pensado por e para vocês! Mas agora chega de enrolação! Essa coluna será semanal (prometo cumprir dessa vez!) e vai se chamar Depois do Play. Nela eu vou falar um pouquinho sobre aquelas séries que não saem dos favoritos no meu navegador. E como começar com o pé direito é regra, vou falar da minha queridinha nesta semana, o top da lista: com vocês, Criminal Minds!



SINOPSE: Quando não há outras pistas para um caso em série, o FBI logo pede ajuda para a Unidade de Análise Comportamental em Quântico. Enquanto detetives comuns estudam as evidências de um crime, a unidade analisa o comportamento do criminoso para chegar a uma lista de suspeitos. Eles investigam o crime de dentro para fora — sem examinar as evidências no laboratório; ao invés disso, eles estudam o comportamento dos criminosos nas cenas dos crimes ou onde eles vivem ou trabalham, para descobrirem o que eles pensam. Liderando a equipe está o agente especial Jason Gideon (Mandy Patinkin, "Dead Like Me", "Chicago Hope"), o principal analista comportamental do FBI. Os experts do time de Gideon incluem o agente especial Dr. Spencer Reid (Matthew Gray Gubler), um típico gênio com um QI alto, que é atormentado pela ideia de acabar tornando-se esquizofrenico assim como a mãe Diana; o agente especial Aaron Hotchner (Thomas Gibson, "Dharma & Greg"), um homem de família capaz de ganhar a confiança das pessoas e descobrir seus segredos; o agente especial Derek Morgan (Shemar Moore, "Birds of Prey"), um especialista em crimes obsessivos; Elle Greenway (Lola Glaudini, "Família Soprano"), uma agente que é motivada pela agressão não-resolvida que ela sofreu há alguns anos; Jennifer Jareau (A.J. Cook, "Premonição 2"), uma especialista em contatos com a mídia; e Penelope Garcia (Kirsten Vangsness) uma técnica em análise de dados e informática. Cada membro da equipe une suas especialidades únicas enquanto eles apontam as motivações dos predadores e identificam seus gatilhos emocionais na tentativa de impedi-los.

Para aqueles que gostam de uma investigação criminal, a série é uma ótima pedida. Toda a trama gira em torno da UAC (Unidade de Análise Comportamental), uma equipe de elite do FBI, que interpreta os criminosos, e desvenda seus passos, antecipando-se a eles. Produzida pela Mark Gordon Company em associação com a CBS Television Studios e ABC Studios, a série difere-se de outras do mesmo gênero exatamente por se concentrar muito mais no comportamento do criminoso do que no crime em si. Atualmente, a série está em sua décima temporada, e já passou por algumas (várias!) mudanças de elenco e até mesmo de personagens ao longo desse tempo. Independente disso, a série prende o espectador facilmente, é inteligente e completamente viciante, por experiência própria. Fica aqui a minha explícita recomendação da série, com a certeza de que, se você realmente curte esse gênero como eu, não vai se arrepender de conferir!

A fonte da sinopse é a Wikipédia. Então, thank you, Wiki! Ah, e não esqueçam de me contar quais as suas impressões depois de assistirem! Vou me despedir de vocês, mas não sem antes deixar um trailer da série, pra que vocês tirem qualquer dúvida que tenha ficado sobre ver ou não essa coisa linda (ok, sou suspeita para falar, mas logo vocês também serão haha)!



Vocês podem, sim, mandar sugestões de séries para participar da coluna, galera (inclusive, vou adorar conferir aquelas que vocês indicarem!), então comentem à vontade! Até a próxima postagem, gente bonita!

Beijos 

[PARCERIA] Autora Mari Scotti

Hey, pessoas!

É com muita alegria e orgulho que eu venho anunciar para vocês a primeira parceria com autores do blog. E essa estreia não poderia ser melhor: nossa parceira é a querida e talentosa Mari Scotti, autora da série Neblina e Escuridão e Nefilins. Vamos conhecer um pouco mais dessa escritora incrível?

BIOGRAFIA DA AUTORA:

Paulistana, tímida e blogueira literária. Nascida em 22 de fevereiro e formada em Recursos Humanos. Aprendeu a amar a literatura aos dez anos de idade e a desejar escrever com a mãe que também é apaixonada por esta arte. Teve coragem de mostrar suas histórias a outros apenas em 2009 como escritora de fanfics, o que a impulsionou a buscar por mais. Apoia sem reservas a literatura Nacional. Já gravou CD como cantora de banda, compôs e hoje se dedica à sua família e a seus queridos personagens. Escritora das séries Neblina e Escuridão e Série Nefilins.


SINOPSE DE TODOS OS LIVROS DA AUTORA:

Híbrida
Série Neblina e Escuridão - Livro 1
Editora Novo Século
Lançamento: 2013
Gênero: Romance Sobrenatural


Sinopse Oficial: Por toda vida Ellene teve a sensação de ser diferente de seus irmãos e dos moradores de sua vila, pois não adquiriu características de lobisomem como era esperado, e afastava-se cada vez mais desta natureza. Com um espírito rebelde, resolve desvendar o passado em busca de sua verdadeira origem. O que não planejava era entrar no meio de uma rixa entre vampiros, a raça que aprendeu a temer e odiar desde menina. Para piorar, seus pesadelos voltaram: sonhos com um homem misterioso de olhos ameaçadores, envolvido por uma densa neblina. Há quase cem anos a rainha dos vampiros fora sequestrada e seu marido, Milosh, desde então busca incessantemente encontrá-la. O tempo é escasso e as autoridades do Conselho desejam eleger um rei omisso e cruel em seu lugar. Na tentativa de tardar a mudança, ele se une a maior inimiga da rainha. Qualquer erro pode condená-lo a morte e subjugar todos os seus iguais. Ellene e Milosh mal sabem que o que buscam os colocará frente a frente, em uma trama de intrigas, poder, amor e ódio.


Conto Extra sobre a série disponível na Amazon: https://www.amazon.com.br/dp/B00L6MFRK4

Maiores informações: 

Onde comprar: Apenas com a autora, pois está esgotado, através do email: mari.scotti@hotmail.com. Em breve teremos segunda edição.

Guardião - Livro 2
Série Neblina e Escuridão
Gênero: Romance Sobrenatural
Editora: Novo Século
Lançamento: 2015

Sinopse Não-Oficial: Ellene de Moraes finalmente enfrenta o homem de seus pesadelos e descobre que têm mais em comum do que esperava. Acostumado a ensinar, Milosh logo se dispõe a inseri-la em sua recém-descoberta condição. Desconfiada e sem alternativa, ela aceita segui-lo e ajuda-lo a localizar Elizabeth, a mulher que acredita ser sua mãe biológica. Apesar de crer que Milosh é seu verdadeiro pai, sentimentos aos quais não está acostumada são despertos. A distância imposta por Tomas e o ódio que ele nutre por ela só a afastam mais de sua antiga vida. Um hospício abandonado na cidade de Ribeirão Pires é moradia dos servos de um vampiro poderoso e desconhecido. Ele sonda a mansão real, o que desperta o interesse de Milosh e o obriga a se unir aos lobisomens a fim de descobrir o que este estranho esconde dentro do casarão. Elizabeth parece mais distante a cada dia, porém uma pista os deixa mais próximos da verdade. A rainha dos vampiros vive? Amor e consciência não deveriam seguir o mesmo caminho.


Insônia
Série Nefilins
Editora Aped
Lançamento: março/2013
Gênero: Romance / Ficção

Sinopse: Suzana perde os pais com oito anos de idade e foi a única sobrevivente do acidente que matou seus pais. Foi salva por alguém que ninguém acredita existir. Quando está perto de completar dezoito anos, coisas estranhas passam a acontecer. Dois rapazes surgem em sua vida, são misteriosos e parecem saber muito mais sobre ela do que deveriam. Ela precisa escolher entre um ou outro, mas não sabe que essa escolha mudará sua vida para sempre.


Maiores informações: www.mariscotti.blogspot.com.br
Onde comprar: - com a autora através do e-mail: mari.scotti@hotmail.com ou no site da editora: www.apededitora.com.br

Redes Sociais 
Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/298352-insonia 
Página do livro: www.facebook.com/InsoniaSerieNefilins 
Facebook: https://www.facebook.com/InsoniaSerieNefilins 
Book Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=EtWzf7SpY-Y 
Degustação: http://issuu.com/apededitora

Sonhos 
Série Nefilins - Livro 2
Sem editora
Gênero: Romance / Ficção

Sinopse: A vida que Suzanna conhecia ficou para trás e suas escolhas terão consequências desastrosas sobre seu futuro. Um julgamento foi preparado para condenar sua alma Nefilin e nele será revelada a verdadeira face do mal. Estará o anjo disposto a abdicar de sua posição, de sua alma pura, apenas para salvá-la?

Redes Sociais 

Montanha da Lua
Gênero: Romance de Época

Sinopse: Há décadas, uma lenda assusta jovens debutantes da província de Madascócia: A Maldição dos Hallinson’s. Conta-se que a tragédia acompanha essa família desde o primeiro Hallinson, levando à morte a esposa em seu primeiro ano de casamento ou após o nascimento de seu filho varão. Geração após geração, todos cresceram conhecendo sua sina e a regra a seguir para possuir um casamento frutífero e longo: casar-se sem amor. O único homem da família que burlou a maldição foi Narciso Hallinson, pois segundo seus diários, não amava a esposa e a tinha apenas para perpetuar seu nome, contudo, como os demais, ele teve apenas um herdeiro. Sete gerações depois, a lenda tornou-se conhecida por toda a província, afastando as donzelas e suas mães casamenteiras, mesmo havendo provisões eternas em seu clã. Nenhuma delas desejava arriscar perder sua vida por dinheiro, mesmo Octávio Hallinson sendo o viúvo mais poderoso, rico e temido da região. Mical Baudelaire Nashgan sempre foi uma mulher decidida, enfrentando as ordens de sua tia e negando-se a seguir as regras da sociedade que obrigava mulheres a procurar maridos apenas por posse de títulos e dinheiro, e não por amor. O posicionamento contraditório aos costumes afastou os candidatos, tornando-a uma das únicas solteironas que sua província conheceu. A mais bela dentre elas. Jamais se importou com o título, a falta de liberdade em ir e vir para onde desejasse é que a deixava queixosa. Com o tempo, conseguiu desvincular-se da casa dos tios e passou a viver sozinha, cercada de empregados e olheiros, em uma propriedade vizinha, assentada aos pés da floresta que rodeia a Montanha da Lua. A Montanha da Lua não era um lugar para donzelas, todos sabiam. Ela guardava segredos obscuros, ladrões traiçoeiros, homens de baixa índole e que não se importavam em profanar uma mulher, mesmo esta sendo donzela e de boa família. Uma tragédia a coloca frente ao homem misterioso que vagueia pela floresta e sua vida, como também seu futuro, torna-se incerto e assustador.



Redes Sociais
Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/416608ED473078 
Facebook: https://www.facebook.com/pages/Montanha-da-Lua/620240131436313

E aí, gente, o que acharam da parceria, hein? Não poderia ser melhor, concordam? Em breve teremos resenha do livro Híbrida aqui no blog, então fiquem ligados!

Mari, eu só queria agradecer mais uma vez pela confiança, disponibilidade e atenção que tu me deste desde o primeiro e-mail. Quando preenchi o formulário, nunca imaginei que o Livros Viajantes seria selecionado, e tive que reler teu e-mail duas vezes ou mais rs É muito importante alguém que acredita na gente, nos dá mais força para continuar postando e melhorando cada dia mais. Em meu nome, e em nome do LV, queria dizer que farei tudo que estiver ao meu alcance para ser digna da confiança que tu depositou em mim, e que estamos, eu e o blog, aqui para o que você precisar. Muito obrigada, querida 

É isso, galera, e aguardem porque está chegando novidades para vocês! Até a próxima postagem!

Beijos  

[TOP 5] Autores que você precisa conhecer

Hey, pessoas!

Hoje é dia de Top 5, e eu decidi falar com vocês um pouco sobre aqueles autores que não saem da minha wishlist. Esses escritores me conquistaram definitivamente com suas escritas detalhadas e simples, mas cheia de sentimentos. Vamos conhecer meus próprios autores best-sellers?



1. Stacey Jay



Nascida em 24 de outubro do ano de 1977, em Louisiana, Estados Unidos, Stacey Jay é autora da série You are so undead to me e muitos outros livros para jovens. Escritora desde 2005, é mãe de dois pimpolhos, em tempo integral. Atualmente vive na Califórnia com o marido e os filhos. Aqui no Brasil, a autora teve dois livros publicados, que realmente merecem ser lidos: Julieta Imortal e Romeu Imortal, ambos já resenhados aqui no blog. Recentemente, surgiu a notícia de que Julieta Imortal se transformará num longa, com a própria Stacey como roteirista. Agora é esperar e torcer para que seja verdade!

2. David Levithan



Natural de New Jersey (Estados Unidos), David nasceu no dia 07 de setembro de 1972. Editor de ficção jovem americano adulto e autor premiado, teve seu primeiro livro, Boy Meets Boy, publicado em 2003. Atualmente, Levithan está trabalhando para Scholastic como diretor editorial. Além disso, também é editor-fundador do PUSH, uma marca jovem-adulto da Scholastic Press enfocando novas vozes e novos autores. Suas obras são de uma sensibilidade difícil de se encontrar, e ele tem se dedicado bastante ao tema da homossexualidade em seus livros. Entre seus maiores sucessos estão Todo Dia, Invisível (escrito em parceria com Andrea Cremer), Will & Will (parceria com John Green) e Garoto Encontra Garoto.

3. Lisa Jane Smith


Lisa Jane Smith, mais conhecida pela abreviação L. J. Smith, é uma escritora americana que vive na Califórnia. Seus livros de literatura jovem/adulta combinam uma infinidade de gêneros, incluindo o horror, ficção científica, fantasia e romance. Dentre suas séries mais famosas estão Diários do Vampiro (adaptado para a televisão em uma série de mesmo nome), O Círculo Secreto e Mundo das Sombras.

4. Thomas Harris



Thomas Harris é um escritor norte-americano de romances policiais nascido no Tenesse (Estados Unidos) em 11 de abril de 1940. Sua série de maior sucesso, adaptada para as telas em filmes do mesmo nome, enfoca o personagem Hannibal Lecter, um dos maiores assassinos psicopatas da literatura. A escrita dele é genial, e como eu amo o gênero, ele está com certeza entre os meus favoritos.

5. Stephen King


Nascido em 21 de setembro de 1947 no Maine, em Portland, Stephen King é um dos mais conceituados escritores do gênero de terror. Muitos de seus livros foram adaptados cinematograficamente, como Carrie, a Estranha, It, A Coisa, O Iluminado e À Espera de Um Milagre. Sob a Redoma foi adaptado para uma série televisiva de grande sucesso. Esse autor é clássico e creio que todos vocês conhecem, mas é meu ídolo na escrita e não poderia ficar fora dessa lista.

Lembrando que a fonte de todas as informações sobre os autores é o nosso adorado Skoob rs É isso, gente, espero que tenham curtido o Top 5 de hoje. Mandem sugestões dos próximos temas se quiserem e aproveitem para me contar nos comentários quais os seus escritores prediletos. Até a próxima postagem!

Beijos